A prefeitura de Volta Redonda, através de uma parceria com o Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), desenvolveu uma cartilha de orientação nutricional e alimentar para pessoas que vivem com HIV e Aids. O material será distribuído virtualmente para os pacientes do Centro de Doenças Infecciosas (CDI). A iniciativa é da Divisão de Área Técnica e Educação em Saúde (Dates), da secretaria municipal de Saúde, que elaborou o material junto com alunos do curso de Nutrição do UniFOA.

A cartilha é uma ferramenta de informação que busca apresentar recomendações nutricionais e alimentares que visam melhorar a qualidade de vida dessa população. Profissionais da área de Saúde afirmam que a alimentação saudável e equilibrada é vital para a saúde de todos os indivíduos, inclusive para as pessoas vivendo com HIV/Aids (PVHA), em função da necessidade de reforçar o sistema imunológico pela quantidade de medicamentos prescritos para os pacientes. O material servirá como orientação para ajudar no tratamento desses usuários no CDI.

A nutricionista preceptora do estágio de Nutrição em Saúde Pública do Dates, Natália Feres Costa, explicou que o material foi feito através da uma parceria de ensino, serviço e comunidade, trazendo as alunas do curso de Nutrição para o cenário do Sistema Único de Saúde.

“Antes da pandemia, esse trabalho era realizado olho no olho, mas nesse momento isso não é possível. Mas a informação não pode deixar de chegar aos pacientes. Pensamos então em usar a tecnologia de informação e comunicação, e uma dessas ações que vamos desenvolver é a confecção dessa cartilha que iremos divulgar nos grupos de whatsapp”, disse a nutricionista.

Ela destaca que o conteúdo da cartilha aborda do cuidado com a alimentação, do peso e do controle nutricional, usando uma linguagem bem fácil e direta. “Abordamos assuntos como nutrientes, cuidados com a higiene dos alimentos, relação da quantidade de medicamentos que eles tomam no coquetel com a alimentação, pois há medicamentos que precisam ser administrados juntos com os alimentos e outros que precisam ser tomados separados para ter uma absorção melhor”, disse Natália, ressaltando que todo o conteúdo da cartilha segue os protocolos do Ministério da Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui