A Quarta Câmara Tribunal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio (TJ-RJ) absolveu nesta terça-feira (dia 12), por unanimidade, o médico Marcelo Mendes, que havia sido acusado por duas clientes de assédio sexual. A turma que julgou o recurso, impetrado pelo advogado Paulo Cosenza, é formada por duas desembargadoras e um desembargador e tida, nos meios jurídicos, como uma das mais rigorosas do Estado do Rio.

Segundo Cosenza, o médico está, no momento, dedicado a recompor sua rotina social e profissional. “Ele foi alvo de uma dura campanha difamatória na internet, especialmente em blogs e redes sociais, depois de ter sido injustamente acusado. No momento, ele quer principalmente retomar a sua vida”, declarou Cosenza, que assumiu a defesa do médico depois que elei foi condenado, em primeira instância, a uma pena de oito anos, agora anulada pelo TJ-RJ.

Marcelo Mendes também foi absolvido pelo Conselho Regional de Medicina e está livre para exercer a profissão. O desembargador relator, segundo fontes ligadas ao TJ, chegou a recomendar que fosse enviado um ofício ao Ministério Público para investigar uma possível denunciação caluniosa por parte das mulheres que apresentaram queixa contra o médico.

Processo na Vara Cível

A advogada Luciana Macedo Pereira Campos aguarda o julgamento na 12ª Câmara Cível, das ações milionárias movidas pelas supostas vítimas, que foram instauradas antes da própria ação penal. Nessess processos as duas mulheres pleiteiam indenizações que somam aproximadamente R$ 3 milhões e atualmente estão suspensas, pois aguardavam o julgamento das ações criminais.

Responsável pela defesa de Marcelo Mendes nessas duas ações, Luciana Campos afirma que “mediante a falta de crime, não houve dano e, portanto, não há o que ser indenizado”, garantindo a especialista que irá juntar imediatamente o acórdão criminal nas ações cíveis. Pontuou ainda a advogada que cabe responsabilização das acusadoras por crimes contra honra do seu cliente.



4 COMENTÁRIOS

  1. Um do casos é na minha família!
    Ele foi condenado em primeira instância e infelizmente na segunda recorreu e ganhou.
    Lamentável, revoltante e indignante!

    Minha tia desenvolveu depressão, síndrome do pânico e tem crises de ansiedade frequentes. Passou a dormir somente com remédios e a fazer acompanhamento psiquiátrico.
    Infelizmente quem tem poder tem quase tudo… Inclusive influência pra conseguir matérias como essa defendendo-o. Tem advogado que é ex-juiz, tem amigo médico no Cremerj, tem mãe advogada na cidade.
    Ele deveria morar na cadeia pagando pelo que fez. Infelizmente denunciar é pra poucas corajosas!
    Uma das vítimas ficamos sabendo que desistiu de seguir com denúncia e foi embora da cidade.
    A mulher sofre muito… além do abuso ainda tem que lidar com julgamentos de quem não sabe do que ela passou e passa. É muito difícil medir forças com quem tem grana e ainda se esconde atrás de uma deficiência!

  2. Um do casos é na minha família!
    Ele foi condenado em primeira instância e infelizmente na segunda recorreu e ganhou.
    Lamentável, revoltante e indignante!
    Minha tia desenvolveu depressão, síndrome do pânico e tem crises de ansiedade frequentes. Passou a dormir somente com remédios e a fazer acompanhamento psiquiátrico.
    Infelizmente quem tem poder tem quase tudo… Inclusive influência pra conseguir matérias como essa defendendo-o. Tem advogado que é ex-juiz, tem amigo médico no Cremerj, tem mãe advogada na cidade.
    Ele deveria morar na cadeia pagando pelo que fez. Infelizmente denunciar é pra poucas corajosas!
    Uma das vítimas ficamos sabendo que desistiu de seguir com denúncia e foi embora da cidade.
    A mulher sofre muito… além do abuso ainda tem que lidar com julgamentos de quem não sabe do que ela passou e passa. É muito difícil medir forças com quem tem grana e ainda se esconde atrás de uma deficiência!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui