Com objetivo de debater propostas para reabertura das igrejas, templos e instituições religiosas, o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, quer se reunir na próxima semana com líderes religiosos da cidade. Samuca informou que quer ouvir as sugestões das lideranças para que as atividades nos locais possam ser retomadas.

O prefeito deve assinar na próxima semana, junto com o Ministério Público, a autorização para reabertura gradual do comércio e demais atividades econômicas. Isso deverá acontecer a partir de 4 de maio. Na cidade, há uma decisão judicial que impede atividades que possam gerar aglomeração. O acordo com o MP pode permitir essa reabertura.

Segundo explicou o prefeito Samuca Silva, o objetivo de encontrar com os líderes religiosos é ouvir as propostas e elaborar um plano técnico de reabertura. “Ouvindo os líderes religiosos, que conhecem a fundo a realidade de cada templo, instituição religiosa e dos fiéis, vamos realizar essa reunião para elaborar o plano e levar para aval do Ministério Público. O que queremos é realizar a reabertura de forma consciente, para que as atividades religiosas possam ser retomadas, mas sem risco de contaminação para o público”, disse o prefeito Samuca Silva.

O isolamento social, principalmente das pessoas da faixa de risco, está salvando vidas em Volta Redonda, segundo explicou Samuca. Por isso, é importante a reabertura de atividades de forma gradual e consciente.

“Não podemos simplesmente permitir, sem critério, que todas as atividades sejam retomadas na cidade. O vírus está circulando em Volta Redonda, já temos muitos casos confirmados. Então precisamos tomar todos os cuidados, usar máscaras, realizar a higienização correta das mãos e evitar aglomerações. Estamos preparando a rede de saúde. E, através de um planejamento técnico, vamos buscar realizar a abertura das atividades sem colocar a população em risco”, completou Samuca.

Reabertura gradual do comércio deverá ser oficializada junto com o MP em Volta Redonda na próxima semana

O prefeito Samuca Silva explicou que o Ministério Público do Estado já deu um parecer prévio favorável ao plano de reabertura do comércio apresentada pelo Executivo. O prefeito informou que faltam apenas alguns ajustes, por parte do MP, no plano de reabertura para que o acordo seja assinado.

Para reabertura das atividades econômicas, a proposta técnica prevê seis eixos principais para que a flexibilização: O número de casos suspeitos não aumentar em 5% a cada dois dias; A ocupação de leitos ocupados no CTI não ultrapassar 50%; A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 70%; O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara obrigatório nas ruas; Manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

De acordo com a proposta, as atividades hoje em funcionamento permanecem abertas seguindo as medidas de restrição.

 Já a partir de 4 de maio, poderão ficar abertos: serviços de escritório, apoio administrativo e outros serviços prestados; atividades profissionais, cientificas e técnicas; atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados; informação e comunicação; comércio e reparação de veículos automotores; alojamento; bares e restaurantes com 30% da capacidade. A feira livre também deverá ser autorizada, entretanto com regras que ainda serão definidas.

 Já a partir de 11 de maio, devem ser liberados o comércio varejista; outras atividades e serviços; seleção e agenciamento e locação de mão de obra; artes, cultura, esporte e recreação; atividades imobiliárias; agências de viagem, operadores turísticos e serviços de reservas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui