A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Volta Redonda está apurando um caso de violência doméstica sofrido por uma jovem de 24 anos, moradora do bairro Retiro. A ocorrência de ameaça foi registrada na quarta-feira (dia 8). O acusado é seu ex-marido, um médico.

O caso tornou-se público após publicação nas redes sociais, onda a vítima expõe detalhes do relacionamento do casal. Segundo ela, a situação piorou em dezembro, quando, na companhia do filho de apenas um mês, efetivamente eles se separaram.

A mulher afirma que neste curto período de separação em algumas oportunidades houve reaproximação entre o casal, sem que a relação fosse oficialmente reatada. “Há uns 20 dias estávamos na casa da minha mãe, enquanto ele veio com a desculpa de ver o filho e reatar o casamento. E por eu não aceitar, ele reagiu de uma forma agressiva que por Deus meu irmão apareceu na hora e conseguiu separar”, detalhou. O médico chegou a ser preso por lesão corporal e dano, mas obteve a liberdade na audiência de custódia. A vítima, por sua vez, conseguiu uma medida protetiva.

Na terça-feira (dia 7), porém, eles voltaram a se encontrar. A princípio seria apenas uma conversa para tratar da situação do filho do casal, hoje com 4 meses. “Fui até o apartamento onde morávamos para pegar o resto de algumas coisas do meu filho que ainda estava lá, e acabei ajudando ele [o ex-marido] a organizar o apartamento. Reconheço o meu erro”, salientou. “Depois que acabamos ele começou a beber, e eu tentei ir embora, pois sei que depois da primeira ‘cervejinha’ nunca termina bem”, prosseguiu a mulher no relato compartilhado nas redes sociais.

De acordo com ela, foi então que o homem trancou a porta, pegou a chave de seu carro e o celular. “Fiquei a madrugada toda sentada no sofá em silêncio (por medo, afinal meu filho de 4 meses estava dormindo no quarto) ouvindo ameaças e humilhações que não condiziam com a realidade”, disse a vítima. Somente na quarta-feira, por volta das 8h, que ela conseguiu encaminhar mensagem solicitando ajuda a mãe do rapaz, que se prontificou a me ajudar. “Como sempre me ajudou”, afirma.

Somente com a chegada de uma terceira pessoa, ligada à família do médico, que a mulher conseguiu fugir. “Agradeço a Deus por mais uma vez me ajudar a sair dessa situação e me dar força para tomar essa atitude que com muita dificuldade consegui vir expor e denunciar. E deixo aqui o meu conselho para quem vive numa situação semelhante a essa: Denunciem!!! Ninguém merece passar por isso”, finalizou a postagem.

O caso é investigado pela equipe da Deam. “A partir de hoje (dia 9) vamos tentar intimar para que ele [suspeito] venha à delegacia prestar as declarações sobre as novas ameaças que ela [vítima] sofreu”, explicou a delegada Waleska Garcez.

1 COMENTÁRIO

  1. Cadê a cara do canalha estampada no jornal?
    Tem que ser divulgado para que todos reconheçam esse monstro, e que ele receba o devido tratamento nas ruas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui