A direção-geral do Campus Pinheiral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRJ) se reuniu com representantes do Instituto Dagaz para discutir parcerias de apoio à Organização Não Governamental (ONG). O Instituto Dagaz é uma ONG de Volta Redonda que atende crianças e jovens das regiões periféricas, oferecendo gratuitamente atividades socioeducativas, culturais e esportivas. O encontro foi realizado na segunda-feira (dia 9).

De acordo com a coordenadora de Projetos e Marketing, Marcia Fernandes, diante da dificuldade de financiamentos aos trabalhos da instituição, uma das alternativas é consolidar parcerias com instituições sérias e socialmente responsáveis, como o IFRJ. “As parcerias nos abrem novos horizontes pela competência, seriedade e qualidade técnica. Buscamos trocar experiências, somar forças e agregar valores para construir uma nova história e uma sociedade mais justa e igualitária”, disse.

A proposta é que o campus ofereça à ONG suporte técnico na montagem e instalação de programas em computadores. O Instituto Dagaz recebeu doação de computadores, porém, depende dessa parceria para viabilizar o funcionamento dos laboratórios de Informática. De acordo com o diretor-geral do campus, Marcos Fabio de Lima Miranda, a intenção é ofertar vagas de estágios aos estudantes do curso Técnico em Informática, para que eles possam atender à ONG.

Além disso, o Campus Pinheiral pretende contribuir para o desenvolvimento da “Sala Verde” da ONG, a partir de trocas de experiências com representantes da “Sala Verde Sagui” do campus. O projeto está vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e busca incentivar a criação de espaços de ação e informação socioambientais. Por fim, o Dagaz ofereceu um espaço na “IV Bienal do Livro”, em Volta Redonda – evento organizado pela instituição – para o campus divulgar seus cursos e trabalhos.

A previsão é que o evento aconteça em novembro, no entanto, a organização está em processo de análise de patrocínios e incentivos. O tema desse ano é “Periferia Conect@da”. “A proposta é mostrar o que está sendo produzido nesses territórios para acesso às novas tecnologias, mídias, redes e um espaço para startups com soluções culturais e sociais”, explicou Marcia Fernandes.

Participaram também da reunião a professora Livia Puello, e os representantes do Dagaz: Mârinez Fernandes (gestão de Projetos e Captação de Recursos) e Natã Teixeira Amorim (Produção Executiva).

Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui