Ricardo Nunes, fundador e ex-principal acionista da varejista Ricardo Eletro, foi preso na manhã desta quarta-feira (dia 8) em São Paulo, por suspeita de sonegação fiscal, na Operação Direto com o Dono, deflagrada pela força-tarefa composta pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Secretaria de Estado de Fazenda e Polícia Civil.

Estão sendo cumpridos três mandados de prisão e quatorze mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara de Inquéritos de Contagem. A filha de Ricardo, Laura Nunes, também foi presa, na Grande BH. Um mandado de prisão contra o superintendente da varejista, Pedro Daniel Magalhães, ainda está em aberto. Já para o irmão de Ricardo, Rodrigo Nunes, foi expedido um mandado de busca e apreensão.

As investigações da força-tarefa apontam que mais de R$ 400 milhões foram sonegados ao longo de cinco anos.

Segundo apontam as investigações do MPMG, o valor do ICMS aplicado aos produtos e cobrado dos consumidores, não era repassado ao Estado. Ainda segundo o MPMG, a empresa se encontrava em situação de recuperação extrajudicial, sem possuir condições de arcar com as dívidas.

Entretanto, o patrimônio de Ricardo apresentou um crescimento incomum na época em que a investigação ocorria, com a aquisição de diversos imóveis, participações em shoppings na região metropolitana de Belo Horizonte e fazendas, caracterizando o crime de lavagem de dinheiro. Esses imóveis, não estavam registrados em seu nome, mas no nome de sua filha Laura e de seus irmãos, e até mesmo, no nome da própria mãe. Foto: Reprodução/Redes Sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui