A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (dia 5), mais uma etapa da Operação Lava Jato. Segundo a PF, a ação visa o cumprimento de nove mandatos de prisão, sendo seis prisões preventivas e outras três temporárias, e 32 mandatos de busca e apreensão na cidade do Rio de Janeiro e na Baixada Fluminense.

Ainda de acordo com a PF, pessoas físicas e jurídicas que participavam do esquema de pagamento de propina relacionada às atividades da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) estão sendo investigadas. Tal esquema ainda contaria com a participação de agentes públicos, como o ex-secretário nacional da Justiça, Astério Pereira dos Santos.

Astério foi preso na manhã de hoje, em sua casa, no bairro Leblon, um dos mais luxuosos da capital fluminense. Até o momento, sete pessoas foram presas. Além do ex-secretário, estão presos o filho dele, o advogado Pedro Botelho, o também advogado Pedro Navarro, que é sócio de Danilo, e a advogada Viviane Ferreira Coutinho Alves.

Astério era procurador do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), e se aposentou da função para ocupar o cargo de Secretário de Justiça no governo Temer, onde atuou de março a novembro de 2017. Também esteve a frente da Secretaria de Administração Penitenciária de 2003 a 2006, no governo de Rosinha Garotinho. Sob a administração das cadeias que versam as denúncias de lavagem de dinheiro e pagamento de propina contra ele. A defesa do ex-secretário ainda não se pronunciou. Foto: Reprodução/TV Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui