O temporal com seguidas pancadas de chuva durante toda a noite deste domingo (dia 17), e que se estendeu na madrugada desta segunda-feira (dia 18), ocasionou problemas em alguns bairros da Volta Redonda. A Defesa Civil, secretarias de Infraestrutura (SMI), Ação Comunitária (Smac), Furban-VR (Fundo Comunitário de Volta Redonda), SAAE-VR (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), Guarda Municipal (GMVR), além de outras estruturas da prefeitura, estão desde a noite de domingo nas ruas da cidade, dando assistência aos atingidos pela chuva.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Leandro Rezende, foi registrada uma chuva de 40 mm em um período de 8h, o dobro do volume aceitável para esse período. Até às 11h da manhã, foram contabilizadas 50 chamadas de ocorrência, entre alagamentos e deslizamentos de terra.

Os casos mais graves aconteceram nos bairros Caieiras, onde várias famílias ficaram desalojadas por conta de alagamentos, e Santa Inês, onde moradores também tiveram que deixar suas residências por conta de deslizamentos de terra. Todas essas residências estão recebendo visitas das equipes da Defesa Civil durante o dia para avaliar se haverá a necessidade de os locais permanecerem interditados.

Na região dos bairros Caieiras e Cailândia, pelos menos 15 casas foram alagadas em função de uma canaleta de escoamento que transbordou. As famílias foram levadas para casas de parentes e para uma igreja no bairro, e estão sendo assistidas pelas equipes da Smac. “No Santa Inês, seis famílias ficaram desalojadas e foram para casas de parentes. Estamos fazendo o levantamento e, se houver necessidade, todas as famílias atingidas terão direito ao aluguel social ou poderão ser encaminhadas para abrigos”, explicou o secretário de Ação Comunitária, Marcus Vinícius Convençal.

A Vila Santa Cecília, Santo Agostinho, Colorado (Três Poços) e São Luiz também foram afetados pelo temporal. No bairro São Sebastião houve deslizamento de terra no acesso ao bairro São Luiz, o que impediu o tráfego no local. A SMI desobstruiu a passagem no começo dessa madrugada e pela manhã, iniciou a limpeza do local.

Além do São Sebastião, as equipes da SMI estão com retroescavadeiras nos bairros 209 (córrego Secardes), São Luiz e Santa Inês, além da BR-393 (Conforto). Nos bairros Pinto da Serra, São Luiz (próximo ao campo) e na Estrada União, que dá acesso à Fundação Beatriz Gama (FBG), estão sendo utilizadas pás carregadeiras.

O secretário municipal de Infraestrutura, Toninho Oreste, explicou que estão mobilizadas 50 equipes para atender às ocorrências. “Estamos com mais de 400 funcionários nas ruas efetuando a limpeza e desobstrução das áreas atingidas, com o apoio de caminhões e outras máquinas”, disse Toninho Oreste.

Suspensão de aulas

Por conta do forte temporal, algumas escolas suspenderam as aulas nesta segunda-feira. É o caso do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Gotinhas de Amor, no bairro São Lucas, onde o córrego da região transbordou e alagou a escola. Também foram suspensas as aulas da Escola Municipal Prof.ª Juracy Varanda de Almeida Gama, na Água Limpa, que foi toda alagada com lama. “Entrou muita lama nessas unidades e já estamos efetuando a limpeza. As aulas retornam normalmente nesta terça-feira”, explicou a secretária de Educação, Rita Andrade.

A Academia da Vida Oscar Cardoso, que é da Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda) e funciona no Estádio Raulino de Oliveira, também ficou alagada e teve as aulas suspensas.

Falta de água

O Temporal também causou queda de energia nas bombas de abastecimento do Saae-VR. A consequência foi o aumento da pressão numa importante rede o que ocasionou o rompimento da tubulação embaixo do viaduto no bairro Aero Clube.

As equipes do Saae-VR já iniciaram a recuperação, mas pode haver redução na distribuição para os bairros Água Limpa, Morro do Caviana, Santo Agostinho, Nova Primavera e Parque do Contorno. A previsão é que os trabalhos terminem ainda na parte da manhã. “A tendência é que o abastecimento seja normalizado de forma gradual ao longo do dia, primeiro nas partes baixas e depois nos bairros mais altos”, explicou o diretor-presidente do Saae-VR, José Geraldo Mattea, o Zeca.

Previsão de mais chuvas

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), há previsão de chuvas fortes para esta segunda-feira. A Defesa Civil informa que a cidade ficará em estado de atenção e pede que a população que mora próxima a taludes (morros) fique alerta a sinais de deslizamentos como, inclinação de árvores, postes e cercas, trincas no solo. O coordenador da pasta, Leandro Rezende, informou ainda que o Rio Paraíba do Sul está subindo e, se continuar assim, alguns pontos que costumam alagar poderão ser interditados. “A população ribeirinha também deve ficar em alerta. Se o morador identificar que o rio está subindo, tem que procurar um lugar seguro, como Cras, escola, igreja, e ligar para a Defesa Civil. Em outros pontos, se houver indícios de possíveis deslizamentos ou enchentes, as pessoas também devem buscar um local seguro. A qualquer momento, pode ligar para Defesa Civil através do 199, e para os Bombeiros, pelo 193”, afirmou o coordenador da Defesa Civil, Leandro Rezende.

O prefeito Samuca Silva ressaltou que toda a estrutura pública municipal está trabalhando desde o início do temporal para minimizar os transtornos à população. “Estamos dando uma resposta muito rápida. Agradeço a todos os secretários que estão trabalhando para que a vida volte ao normal o quanto antes na cidade. Alertamos a população que há previsão de chuva para hoje e para os próximos dias. Quem mora em área de risco, peço que entre em contato com a Defesa Civil para que possamos fazer uma avaliação, para que ninguém corra risco”, afirmou Samuca Silva.

Fotos: Gabriel Borges/Secom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui