Fundado em 1976, o Volta Redonda Futebol Clube tem em sua história a relação de proximidade com a população da cidade. Durante muitos anos, o Tricolor de Aço foi uma das poucas opções de lazer e entretenimento nos finais de semana para milhares de pessoas, principalmente os arigós, ou seja, metalúrgicos que migraram para o município em busca de oportunidade de emprego na maior siderúrgica do país, a CSN.

Nestes quase 44 anos de existência, o clube passou por diversas fases. Conviveu com a glória e o ostracismo, a alegria a decepção. Não foram poucas as possibilidades de o Voltaço encerrar as atividades. Para evitar o pior, empresários, políticos e desportistas apaixonados pelo Tricolor de Aço se uniram e buscaram recursos para saldar dívidas. Ajuda obtida, muitas das vezes, com a assinatura em livros de ouro, promoção de festival de chopes e bingos. Durante todo este período, a imprensa regional teve fundamental importância, dando visibilidade a essas ações.

Não é exagero nenhum afirmar que o maior patrimônio do Voltaço é o seu torcedor. No entanto, a atual diretoria por muito pouco não renega a escanteio este bem precioso. Uma iniciativa bestial, corrigida a tempo, quase marca de forma negativa e letras garrafais a história do clube. Finalizando a preparação para a estreia no Campeonato Carioca 2020, o Volta Redonda marcou para este sábado (dia 11), às 9h30min, no Raulino de Oliveira, um jogo-treino com o Resende.

Até aí tudo dentro da normalidade. O desconforto foi criado a partir do anúncio da decisão das diretorias das duas equipes, que em comum acordo, definiram que a partida seria fechada para a imprensa e torcedores. Isso mesmo, TORCEDORES e IMPRENSA! O acesso às dependências do estádio, um patrimônio público, seria liberada apenas para os associados (sócio-contribuinte e sócio-torcedor) e mais dois convidados.

A decisão, seja ela de quem for, colocaria o clube na contramão de sua história. Felizmente a “ideia” foi revista a tempo, e após uma enxurrada de críticas. A atitude da diretoria, comissão técnica ou de quem quer se fosse, em deixar de lado sua verdadeira torcida, em nada representa o clube. O Voltaço sempre foi popular e deve ser assim enquanto carregar no escudo o nome da cidade.

Revista a decisão, ficou decidida que a entrada no jogo-treino deste sábado será gratuita para quem estiver com a camisa do Esquadrão de Aço, ou 1kg de alimento não perecível. Não será permitido nenhum tipo de filmagem durante a atividade.

Foto: Reprodução da internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui