As fortes chuvas que caíram nos primeiros dias de 2020 levaram o governo do estado a instituir uma Comissão Técnica de Prontidão para apoiar intervenções de engenharia emergenciais. A medida,  publicada na edição de sexta-feira (dia 10) no Diário Oficial do Estado, designa uma equipe multidisciplinar composta de dez servidores com formação em Engenharia, Geologia, Arquitetura, Direito e Assistência Social para ficar de prontidão e se deslocar de imediato para áreas atingidas.

O grupo prestará apoio para os municípios. Os profissionais ficarão responsáveis pelo acompanhamento técnico, elaboração de projetos e demais instrumentos para recuperação de áreas atingidas e mitigação de danos. A decisão foi anunciada na quinta-feira (dia 9) pelo governador em exercício Cláudio Castro (PSC), durante visita a Barra Mansa e Miguel Pereira, duas das cidades mais afetadas no Sul Fluminense.

Acompanhado dos secretários de Infraestrutura e Obras, Bruno Kazuhiro, e Ambiente e Sustentabilidade, Altineu Côrtes, Castro colocou a estrutura do governo do estado à disposição das cidades para minimizar os danos causados aos moradores. “Estamos em contato com todos os municípios desde ontem. Eu me reuni com os prefeitos de Barra Mansa, Rodrigo Drable (DEM), e de Miguel Pereira, André Português (PL), para alinhar o apoio que o governo do estado pode oferecer. Hoje [quinta-feira] cedo, nossas equipes da Defesa Civil já estavam na região fazendo a limpeza das ruas e auxiliando na coleta de lixo”, disse Cláudio Castro.

Desde o início da tempestade, o Estado instalou um comitê de crises para acompanhar a situação nas regiões. Agentes da secretaria estadual de Defesa Civil estão nos municípios dando apoio para as autoridades municipais, orientando sobre ações diversas para comprovação de danos e obtenção de recursos. A secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos vai prestar assistência a famílias desabrigadas. Serão realizadas ainda obras de contenção de encosta e limpeza de ruas.

Novas casas e infraestrutura

Em Barra Mansa, famílias irão ocupar unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida já concluídas. Está prevista ainda a realocação de 400 famílias em um conjunto habitacional que será construído pela Companhia estadual de Habitação (Cehab). A Ponte do Fórum, uma das mais importantes na região e que precisou ser interditada, também será reformada.

“A reforma dessa ponte sobre o Rio Barra Mansa é prioridade, pois trata-se de uma área com muito fluxo e o trânsito está interrompido. Elaboramos todos os estudos necessários e repassamos para o DER (Departamento de Estradas de Rodagem), que vai efetuar a obra”, explicou Bruno Kazuhiro, secretário estadual de Obras. “É obrigação do Estado dar assistência aos municípios em casos de catástrofes, principalmente às pessoas mais vulneráveis. Por isso, criamos a Comissão Técnica de Prontidão, que irá desenvolver um trabalho permanente”, completou Kazuhiro.

Alagamentos constantes em BM

A situação se repete todos os anos. Basta chegar o verão para as cidades entrarem em estágio de atenção com o aumento da possibilidade de chuvas de grande intensidade. No Sul Fluminense, os primeiros dias de 2020 registraram pontos de alagamentos. Barra Mansa e Miguel Pereira foram os municípios mais afetados.

Na quinta-feira (dia 9), o dia foi de avaliação de danos e limpeza em Barra Mansa. Segundo Sérgio Mendes, coordenador da Defesa Civil municipal, caminhões e máquinas foram utilizados na limpeza dos bairros afetados. A cheia atingiu os bairros Nova Esperança, São Luiz, Boa Sorte, Piteiras e Jardim Marajoara, mas segundo Sérgio Mendes, apenas um casal se dirigiu ao ponto de apoio do Nova Esperança, no colégio Clécio Penedo, mas assim que a água baixou, retornaram para casa.

Ainda segundo o coordenador, na quarta-feira (dia 8), o Rio Barra Mansa chegou à marca de 4,19 metros, e o índice pluviométrico atingiu 54,6 mm, gerando a terceira cheia do rio em 1 ano.

Volta Redonda

A Defesa Civil de Volta Redonda registrou oito ocorrências, na tarte de sexta-feira (dia 10), em consequência das fortes chuvas que atingiram a cidade. No pluviômetro do bairro Santa Cruz foi registrado 61,4 mm em uma hora, enquanto o do Retiro registrou 33,8 mm de volume de chuva. Além disso, houve pontos de deslizamentos de terra nos bairros Vila Brasília, Vale Verde, Retiro e Açude e de alagamentos em Santa Rita do Zarur. A equipe da secretaria de Infraestrutura (SMI) foi acionada para minimizar os impactos nas localidades, enquanto a Defesa Civil seguia monitorando.

Foto: Rodrigo Santana

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui