Companhia líder no mercado hospitalar privado, a Rede D’Or São Luiz concluiu há algumas semanas a compra de dois terrenos em Volta Redonda, totalizando área de 3.550 m² no bairro Nossa Senhora das Graças. De acordo com o aviso de homologação da concorrência pública eletrônica, publicado no Diário Oficial da União, o valor do negócio foi de aproximadamente R$ 5,2 milhões.  

Volta Redonda pode ser o primeiro investimento de grande porte do grupo no interior do estado do Rio. Conforme a Folha do Aço antecipou na edição de 26 de setembro, o projeto é construir na cidade um hospital com 12 andares na área adquirida próxima ao Centro de Prevenção à Saúde do Idoso (CPSI) da Associação dos Aposentados e Pensionistas (AAP-VR).Procurada pela reportagem, a empresa informou que está iniciando o processo de IPO (sigla em inglês para Oferta Pública Inicial), que é a entrada no mercado de ações, por isso não está falando sobre investimentos no momento. Em 8 de dezembro, a Rede D’Or estreou na bolsa de valores, levantando cerca de R$ 11,4 bilhões, segundo a agência Reuters. A avaliação do mercado coloca o grupo entre as 10 empresas brasileiras com maior valor de mercado.

A companhia deve usar os recursos da oferta primária para construir novos hospitais (ao que tudo indicada um deles será em Volta Redonda), expandir unidades existentes, além de comprar ativos que permitam desenvolver novas linhas de negócios. A Rede D’Or, nos primeiros nove meses do ano, teve receita líquida de R$ 9,8 bilhões e um lucro líquido de R$ 156,5 milhões.

Empresa da década

A Rede D’Or São Luiz foi eleita em 2020 a “Empresa da Década” e campeã na categoria “Serviços Médicos” na 20ª edição do Prêmio Valor 1000. A cerimônia online ocorreu no dia 29 de outubro. A empresa foi selecionada após análise de indicadores utilizados nas últimas dez edições do ranking das 1000 maiores companhias do Brasil, elaborado pelo jornal Valor Econômico em parceria com a Serasa Experian e o Centro de Estudos em Finanças da EAESP/FGV-SP.

Fundada em 1977 no Rio de Janeiro, como Cardiolab, a Companhia opera a maior rede independente de hospitais privados do Brasil, composta por 51 unidades próprias, um hospital sob administração e 32 projetos de hospitais em desenvolvimento, licenciamento ou construção, distribuídos nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Bahia, Sergipe, Maranhão, Paraná e Ceará e no Distrito Federal. O grupo também opera a maior rede de clínicas oncológicas do Brasil, composta por 39 unidades localizadas ao longo do território brasileiro.

Além disso, a Companhia se dedica à operação de laboratórios de análises clínicas e de imagem, bem como unidades de diálise, contando, com 11 laboratórios e 53 unidades de diálise, das quais 51 funcionam nos próprios hospitais da Rede, e dois funcionam em um ambiente externo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui