O deputado federal Vinícius Farah (MDB-RJ) está apresentando requerimento, junto ao Ministério da Infraestrutura, para que o governo federal dê ênfase, no processo de administração da BR-040, com o fim da concessão, em fevereiro, na retomada das obras da nova pista de subida da serra. O fim do pedágio por um ano e meio, a partir de fevereiro, confirmado pelo ministério, é resultado de sucessivas manifestações do deputado junto à prefeitura em inúmeras reuniões nos órgãos federais, pelo fim da concessão e a não renovação de contrato com a Concer.

“É um passo concreto o fim do pedágio até que a nova concessão seja definida como cobramos em dezenas de reuniões e encontros nos ministérios em dois anos com o prefeito Bernardo Rossi e sua equipe. Toda nossa atuação em conjunto com a prefeitura foi no sentido de que a empresa deixasse a concessão, sem prorrogação, porque os usuários e, em especial a cidade de Petrópolis, vinham sofrendo há mais de duas décadas, sem um serviço adequado. Esse passo foi dado com o Dnit assumindo e sem a cobrança de pedágio. Agora, em uma nova batalha desta luta é concluir as obras da nova pista de subida”, afirma Vinícius Farah.

O Ministério da Infraestrutura acenou com a possibilidade de o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) concluir a construção do túnel de cinco quilômetros na nova pista de subida da serra mesmo antes da nova empresa a ser licitada assumir a estrada. “A nova pista também é uma questão urgente, principalmente para Petrópolis”, pontua Farah lembrando que de acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), entre 2013 a 2021, os prejuízos financeiros decorrentes da falta de melhorias na rodovia, incluída aí uma nova pista de subida da serra, serão de R$ 1,6 bilhão.

“São 20 quilômetros apenas que nos separam de um cenário de desenvolvimento e progresso, com uma pista nova, de qualidade, ampla e que atenda à industria, comércio e turismo”, aponta Vinícius Farah.

As obras da nova pista estão abandonadas há quatro anos. A previsão é de que a concorrência pública seja finalizada em 2022 com a empresa operando o trecho entre Rio e Belo Horizonte. O parlamentar lembra que os municípios de todo o trecho até Juiz de Fora como Três Rios, Areal e Levy Gasparian são prejudicados sem uma nova pista.

“Engarrafamentos por acidentes que ocorrem na subida da serra têm impacto nas outras cidades, por exemplo. É maior gasto de combustível, atraso em entregas, toda uma logística prejudicada, encarecendo preços finais aos consumidores. Para Petrópolis, o prejuízo é ainda maior com o Turismo sendo duramente atingido”, afirma Vinicius Farah

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui