Os 13 candidatos à prefeitura de Volta Redonda já declararam à Justiça Eleitoral, juntos, uma arrecadação de R$ 922 mil para suas campanhas. O levantamento foi feito pela Folha do Aço na sexta-feira (dia 6).

Desse total, 83,42% (R$ 769 mil) são referentes a repasses feitos pelos partidos por meio do fundo eleitoral, ou então dos diretórios nacional, estadual ou municipal. O restante por doações feitas por pessoas físicas e até financiamento coletivo.

Desde 2016, os partidos não podem receber recursos de empresas. No entanto, empresários podem fazer doações como pessoas físicas, desde que o montante não supere 10% dos rendimentos brutos. No primeiro turno, cada candidato a prefeito de Volta Redonda pode gastar até R$ 817.109,16. Caso haja segundo turno, será liberado um limite extra de R$ 326.843,66.

Arrecadação

Até o início da noite do dia 6 de novembro, Neto (DEM) era a candidato com maior receita declarada: R$ 157 mil, sendo R$ 150 mil do fundo eleitoral, e R$ 7 mil de pessoas físicas. Neto declarou despesa de R$ 47.485,00

A segunda maior arrecadação foi declarada por Samuca Silva (PSC): R$ 146 mil, sendo R$ 110 mil pelos diretórios nacionais do PL (R$ 60 mil) e R$ 50 mil (PSC). As despesas já somam R$ 63.996,00.

Alex Martins (PSB) já declarou receita de R$ 111.555,00, sendo R$ 110 mil das direções nacionais do PSB (R$ 85 mil) e PDT (R$ 20 mil), além de R$ 5 mil do diretório municipal do PDT. As despesas já somam R$ 14.510.

Baltazar (PSD) já arrecadou R$ 110 mil, sendo R$ 105 mil do diretório nacional do PSD. As despesas já estão em R$ 48.251,00.

Benevenuto (Avante) já declarou receita de R$ 28 mil, sendo todo o valor oriundo de doações feitas por ele. Os gastos somam R$ 23.943,43.

Cida Diogo (PT) já declarou R$ 138.400,00, sendo R$ 105 mil do diretório estadual e R$ 30.400 da executiva nacional. Ela gastou R$ 53.256,78.

Dayse Penna (PROS) registrou receita de R$ 25 mil, sendo todo o valor do diretório estadual. As despesas somam R$ 65.775,60.

Evandro Glória (CIDADANIA) tem arrecadação de R$ 17.800,00, sendo R$ 8,5 mil doados pelo próprio candidato, e o restante por pessoas físicas. As despesas estão em R$ 15.939,20.

Granato (SOLIDERIEDADE) arrecadou R$ 34.050,00, em recursos do diretório estadual foram R$ 30 mil. Ele gastou R$ 2.366,68.

Hermiton (REPUBLICANOS) já declarou R$ 49.850,01 de receita, 44,93% do fundo partidário. Até agora, ele gastou R$ 37.860,00.

Juliana Carvalho (PSOL) conseguiu R$ 62.989,91, sendo 96,38% da executiva estadual do partido e 3,616% de financiamento coletivo. A candidata gastou R$ 18.736,82.    

Mônica Texeira (PSTU) conta até o momento com R$ 4.740, sendo 49,37% da direção estadual do partido. As despesas somam R$ 2.878.

Professor Habibe (PCdoB) recebeu de doação R$ 36.094,05, O diretório nacional da sigla encaminhou R$ 19.094,05. Ele gastou R$ 18.185,63.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui