Treze milhões de desempregados. Os números divulgados terça-feira (dia 30), véspera do Dia do Trabalho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) expõe um dos principais problemas enfrentados pela população. O tema foi abordado pelo Papa Francisco, que definiu o desemprego como uma tragédia mundial e pediu a intercessão de São José por aqueles que perderam o emprego ou não conseguem encontrá-lo.

“O humilde trabalhador de Nazaré, nos oriente em direção a Cristo, sustente o sacrifício daqueles que praticam o bem neste mundo e interceda por aqueles que perderam o próprio emprego ou não conseguem encontrá-lo, uma tragédia mundial nesses tempos”, afirmou o pontífice.

Amparadas na fé, milhares de pessoas, logo nas primeiras horas de quarta-feira (dia 1º) aglomeram-se nas imediações da Ilha São João, em Volta Redonda, em busca da tão sonhada oportunidade de emprego. O espaço recebeu a primeira edição do ‘Mutirão do Emprego’, projeto idealizado pela prefeitura de Volta Redonda.

Em dois dias, foram mais de 30 mil atendimentos na Ilha São João

CSN, CBSI, Cimbal, Royal Supermercados, RIP, Drogaria Retiro, entre outras empresas, disponibilizaram 2.380 vagas. “O evento superou qualquer expectativa de público que tínhamos”, analisou o prefeito Samuca Silva (PSDB), já adiantando que uma segunda edição será organizada com modelo diferente. “Também terá inscrição online e irei pedir às empresas que somente moradores de Volta Redonda concorram”, destacou o chefe do Palácio 17 de Julho.

Vaga

Jeferson de Oliveira entrou na fila à meia-noite de terça-feira (dia 30), e só relaxou após o agendamento de sua entrevista para programador de carga na empresa Cinbal. “Valeu o esforço. Estou muito contente por ter passado para a segunda fase da entrevista”, disse o morador do bairro Santo Agostinho. Jeferson elogiou ainda a iniciativa da prefeitura. “Só fiquei sabendo dessa vaga por conta do evento”.

Gabriel de Souza Silva, do Retiro, em Volta Redonda, fará entrevista no dia 15 de maio para operador de ponte rolante na CSN. “Cheguei 1h30min e antes do meio-dia fui recompensado. Agora é me preparar para a próxima etapa”, comemorou. A grande procura levou a organização do Mutirão a estender por mais um dia o atendimento.


“O evento superou qualquer expectativa de público que tínhamos”, analisou o prefeito Samuca Silva – Fotos: Divugação/SecomVR

A estrutura permaneceu montada na quinta-feira na Ilha São João. “Sabemos que as pessoas passaram horas na fila e que foi cansativo, mas, realmente, não tínhamos como ter previsão de que viriam pessoas de outros municípios, como Angra, Barra Mansa, Resende e até de Minas Gerais. Volta Redonda vem se destacando na geração de empregos e isso vai chamando a atenção de quem precisa. É como se colocássemos uma placa na entrada da cidade de ‘há vagas’”, comparou Samuca.

O morador de Barra Mansa Murilo de Almeida Pereira foi outro desempregado que conseguiu passar de etapa no processo seletivo. Ele tem entrevista agendada na CSN para os próximos dias. “Estou desempregado há dois anos, esse Mutirão vai mudar minha vida”, afirmou.

Já Marlon da Silva Gouveia, de Barra do Piraí, ganhou a oportunidade na CBSI. Ele concorda que o direcionamento para as vagas disponíveis foi fundamental. “A metodologia utilizada no atendimento pode me fazer ganhar a vaga de marteleiro, sendo que no meu currículo havia várias outras especialidades. Acabamos ficando focados e perdemos oportunidade. Valeu pelo Mutirão”, disse Marlon que garantiu que, se for empregado, fará a mudança para Volta Redonda.

Atendimentos

Segundo os dados da administração municipal, foram mais de 30 mil atendimentos, tanto das empresas quanto da Fábrica de Talentos, que acolheu os trabalhadores que não se encaixaram nas vagas oferecidas no Mutirão. O objetivo é da Fábrica de Talentos é formar mão de obra especializada, oferecer capacitação, cursos, preparação para uma próxima vaga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui