Um caso de violência contra uma idosa, registrado quinta-feira (dia 11) por câmeras de monitoramento na Vila Santa Cecília, revoltou os internautas que tiveram acesso ao vídeo que circulou pelas redes sociais. A senhora foi arrastada por duas mulheres que a acompanhavam quando atravessava, amparada por um andador, a Rua 31, na Vila Santa Cecília em direção a uma clínica. Ela chegou a perder o equilíbrio, cair sentada no paralelepípedo e ainda foi repreendida com tapas na região das costas.

O caso está sendo acompanhado pela secretaria de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (SMIDH). A pasta também se colocou à disposição da equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) do município de Piraí.

“As providências estão sendo tomadas. Como os envolvidos são de Arrozal nós já encaminhamos o relatório de atendimento do Cepai (Centro de Pré-Atendimento ao Idoso) para a secretaria de Assistência Social e Creas de Piraí e ao Cras Arrozal (Ofício via e-mail). Também encaminhamos o relatório ao Ministério Público. Consideramos importante demonstrar à população que a SMIDH tomou conhecimento do fato e está adotando as providências que estão ao nosso alcance”, informou a diretora do departamento de Políticas para Idosos, Juliana Rodrigues.

O Cepai é um serviço municipal vinculado à SMIDH que possui como objetivo acolher e orientar a população idosa, encaminhando-a ao setor responsável pela atuação na demanda. O serviço foi vinculado à secretaria após a reforma administrativa feita em 2017.

“No ano de 2018 conseguimos aumentar o número de atendimento em aproximadamente 950%, tendo em vista que no ano de 2017 havia sido realizado 33 atendimentos, e no ano de 2018, após assumirmos o serviço, foram realizados 349 atendimentos. A violência doméstica é um ciclo que precisa ser imediatamente rompido”, contou a secretária municipal de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, Dayse Pena.

No primeiro semestre do ano de 2019 foram realizados 189 atendimentos, sendo 11 em janeiro, 55 em fevereiro, 28 em março, 36 em abril, 34 em maio e 25 no mês de junho. De acordo com o levantamento as violências mais denunciadas foram violência psicológica, abandono, violência patrimonial e violência física e os maiores encaminhamentos realizados foram para o Creas, Ministério Público e Delegacia de Polícia.

Os serviços oferecidos para a terceira idade em Volta Redonda são muitos e envolvem várias secretarias. Entre eles estão os Grupos de Convivência, Centro de Atendimento a Pessoa Idosa e Centro de Atendimento à Pessoas com Alzheimer (Smac), Programa Melhor Idade em Movimento (Smel), Academia da Vida (Fevre), Hospital do Idoso e Policlínica da Melhor Idade (SMS), entre outros.

O município ainda tem o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, que de acordo com o presidente Kaique Maia, tem um papel fiscalizador das políticas públicas voltadas para o público idoso da cidade, bem como a formação de uma agenda pública para as políticas municipais relacionadas à temática.

“Outro papel do conselho é a fiscalização e o apoio às entidades privadas de atendimento ao idoso, tais como Instituições de Longa Permanência de Idosos. O conselho também recebe e encaminha denúncias de agressões físicas, morais, patrimoniais etc, contra idoso, direcionando as denúncias ao Ministério Público Estadual para devidas providências”, explicou Kaique.

O prefeito Samuca Silva (PSDB) falou sobre a agressão sofrida pela idosa. “Ver um fato como esse acontecer aqui em nossa cidade é muito triste, mesmo que as pessoas envolvidas sejam de outro município. Nós temos uma grande rede de atendimentos para a terceira idade, onde cuidamos e protegemos nossos Idosos, além de proporcionarmos meios de lazer e entretenimento aos mesmos. Nós não só ampliamos os serviços existentes na cidade, como criamos uma secretaria só para cuidar dos interesses deles”, disse o prefeito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui