A Coordenadoria Municipal de Prevenção às Drogas (CMPD) de Volta Redonda já atendeu, em 2019, mais de duas mil famílias através dos projetos desenvolvidos pela prefeitura do município. São aproximadamente sete mil crianças e mais de 1,2 mil adolescentes alcançados, além de cerca de 800 profissionais da rede municipal de educação capacitados.

“A prevenção é o caminho para proporcionar aos nossos jovens um futuro cada vez melhor. Chegar às famílias, às escolas e às crianças e adolescentes é fundamental e isso nós realizamos através da Coordenadoria. Volta Redonda se destaca com esse trabalho importante para toda a sociedade”, ressaltou o prefeito Samuca Silva.

Beneficiada por um dos projetos, Renata Melo, de 38 anos, moradora do bairro Conforto, destacou a importância do trabalho desenvolvido pela CMPD. Ela participou de uma palestra do projeto Cuidando de Quem Cuida, na Escola Municipal Prof.ª Antonietta Motta Bastos, reunindo familiares e professores. Renata reforçou a união que o projeto proporciona entre família, escola e comunidade.

“Os pais confiam seus filhos a maior parte do tempo à escola e vi que a unidade mantém nossas crianças informadas sobre a possibilidade de dizer ‘não’ ao uso de drogas. A informação de forma dinâmica trazida pela escola e pela CMPD chega às crianças de uma forma mais esclarecedora. Nós, pais, sabemos dizer aos nossos filhos para não usar e o trabalho da coordenadoria nos orientou e deu mais segurança para um diálogo mais amplo com eles”, afirmou Renata, que é artista e conhecida na cidade como Henna Melo.

O projeto Cuidando de Quem Cuida faz parte do programa Escola Preventiva, que tem como objetivo orientar sobre a prevenção ao uso de álcool e outras drogas, estimulando hábitos e comportamentos saudáveis nas crianças e adolescentes da cidade. O programa contempla outros projetos como o Paes (Prevenção com Arte, Educação e Saúde).

No Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Iracema Leite Nader, que conta com 180 alunos e fica no bairro Roma II, o diretor adjunto e professor orientador, João Paulo Bueno, conta que a equipe pedagógica da unidade participou dos projetos Paes e Cuidando de Quem Cuida. Segundo ele, todos os encontros têm uma ótima aceitação.

“Após uma peça de teatro na escola, os pais nos procuraram para saber o que tinha acontecido no dia anterior, pois os filhos chegaram em casa relatando que tomar cerveja e fumar cigarro faz mal pra saúde e que eram drogas. A linguagem utilizada e a maneira lúdica de abordar o assunto foram fundamentais para esse retorno positivo. O tema chegou às famílias através das crianças. Não tem modo melhor de difundir uma ideia e despertar uma mudança de comportamento. Sou um entusiasta do projeto e realmente acredito que ele faz a diferença”, relatou João Paulo, lembrando de uma das ações da Coordenadoria que impactou positivamente a comunidade escolar.

Além das crianças, os adolescentes da rede pública também são alcançados pelo trabalho do Escola Preventiva. Na Escola Municipal Rubens Machado, localizada no Verde Vale, a diretora Aline Lopes afirma que educar para prevenção é a melhor alternativa para o enfrentamento do consumo de drogas entre estudantes.

“Teve uma apresentação dos alunos do Projeto de Dança na Semana de Prevenção à Dependência Química em 2018, que chamou a atenção no sentido deles não saberem que a dança é uma atividade de prevenção à dependência química. Também que o esporte e a arte podem auxiliá-los no autoconhecimento, descobrindo o que gostam de fazer. Depois do curso, a dança tornou-se uma atividade com mais intencionalidade”, contou Aline.

Para o coordenador da CMPD e idealizador do programa, Ricardo Cunha, o trabalho preventivo é uma política de médio e longo prazo. “O problema do álcool e outras drogas, principalmente entre os jovens, precisa ser enfrentado não só com aqueles que já fazem o uso, mas, principalmente com a prevenção. É chegar antes que o problema se instale. Não pode atuar apenas com os jovens, tem que envolver toda a comunidade, famílias, instituições e poder público criando uma rede de prevenção com políticas públicas”.

O Escola Preventiva faz parte do Plano de Prevenção Universal, que conta ainda com os programas Comunidade Preventiva e o de Educação Permanente de Prevenção em AD. Através deles, a CMPD desenvolve projetos ligados às secretarias de Esporte e Lazer (Smel), de Educação (SME), de Ação Comunitária (Smac), de Cultura (SMC), além da Guarda Municipal (GM), Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda) e a Fundação Beatriz Gama (FBG). O Programa de Educação Permanente de Prevenção em AD também está presente nos planos de Prevenção Seletiva e Prevenção Indicada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui