Representantes da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e do Sindicato dos Metalúrgicos iniciaram as conversas sobre a renovação do acordo do turno de 8 horas dos trabalhadores da Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda. O atual acordo tem validade até o final do mês. Ainda não foi apresentada à mesa de negociação nenhuma proposta pelas duas partes.


O turno de oito horas voltou a vigorar na empresa em 2017 após dez anos. A decisão foi tomada à época em votação apertada: 55,6% votaram pelo sim e 43,9% foram contrários. “Sempre defendemos o turno de 6 horas, pois é a melhor forma de trabalho para os metalúrgicos e que conseguimos a reimplantação com muita luta. Estamos indo pra mesa de negociação com a empresa, mas nossa postura é a mesma, a de defender que a melhor opção é o turno de 6 horas”, afirmou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Silvio Campos.


Há dois anos, para que fosse aprovada a volta do turno de 8 horas, a CSN apresentou uma proposta de bonificação no valor de R$ 3.500 em duas parcelas. Os trabalhadores do turno também receberam crédito extra de R$ 500 no cartão alimentação. Além disso, havia a possibilidade de que os próprios colaboradores do turno escolhessem a escala. “Estamos começando as negociações, vamos avaliar o que a empresa irá oferecer para os trabalhadores, para que seja colocado em votação. A assembleia é soberana e, mesmo defendendo o turno de seis horas, vamos acatar o que os trabalhadores decidirem”, garantiu Silvio Campos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui