Com o objetivo de interromper a circulação do vírus e conter o avanço da doença, começa na próxima segunda-feira, dia 18, a segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Desta vez, o alvo são os adultos não vacinados na faixa etária dos 20 aos 29 anos. As 46 unidades de saúde de Volta Redonda vão funcionar das 8h às 17h. No sábado, dia 30, será realizado o Dia D, para beneficiar as pessoas que não puderam tomar a sua vacina durante a semana.

Vale ressaltar que as unidades da Atenção Básica de Volta Redonda já disponibilizam a vacina contra o sarampo durante todo o ano. A dose deve ser ministrada aos 12 meses com reforço aos 15 meses. Entre os adultos, são indicadas duas doses até os 49 anos. Acima desta idade, o estado vacinal do paciente e o cenário de incidência da doença no caso de viagem para área endêmica devem ser avaliados.

O prefeito Samuca Silva faz um apelo para que a população alvo procure uma unidade de saúde mais próxima da sua residência para se imunizar. “O objetivo é aumentar a cobertura vacinal, já que a doença voltou a ser registrada no Brasil. Em Volta Redonda não tem casos de sarampo, mas não podemos descuidar. Aproveite a campanha e atualize o seu cartão vacinal. Com campanhas de conscientização vamos conseguir imunizar nosso público alvo. Volta Redonda vai fazer sua parte”, disse o prefeito.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Milene Paula de Souza, as duas etapas da Campanha do Sarampo são para tentar imunizar o máximo de pessoas possíveis. “Nosso objetivo é verificar o cartão vacinal dos jovens para mantê-los em dia. A aplicação da vacina é a única forma de prevenir a ocorrência de sarampo na população, sendo a principal medida de controle da doença”, explica.

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, orienta os jovens que levem o cartão de vacinação.  “A vacinação é fundamental para a prevenção das doenças. Todas as unidades de saúde vão participar da campanha, facilitando o acesso da população às doses da vacina. O sarampo é uma doença altamente contagiosa e a vacinação é indispensável”, afirmou o secretário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui