Dara Cristina De Almeida Santos Souza, de 25 anos, mãe das três crianças que morreram num incêndio criminoso na última sexta-feira (dia 24), em Paraty, deixou na tarde desta terça-feira (dia 28) o Hospital da Praia Brava, em Angra dos Reis, onde estava internada desde o dia da tragédia, depois de ser atendida, inicialmente, no hospital municipal de Paraty. A mulher soube da morte dos filhos horas antes de receber alta.

Segundo parentes, ela está abalada. Seu destino não foi informado, mas ela seguiu para Paraty numa ambulância.

O crime

Dara estava em casa com os filhos Marya Alice, de 4 anos; Cauã, de 5, e Marya Clara, de 7 anos, quando o fogo começou, por volta das seis e meia da manhã. Ela estava no banheiro, onde, segundo a polícia, foi trancada pelo acusado de provocar o incêndio, seu companheiro Fernando Evangelista Da Silva, de 36 anos, que foi preso em flagrante e se encontra, desde a tarde do último sábado (dia 25), na Cadeia Pública de Volta Redonda.

Dara foi internada com ferimentos graves nos pulmões, porque inalou muita fumaça. Ela vivia com Fernando havia três meses e, de acordo com o delegado de Paraty, Marcelo Russo, o companheiro quis se livrar dos filhos para ficar só com a mulher.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui