A Polícia Civil de Volta Redonda realizou na tarde desta quarta-feira (dia 11) a reconstituição da morte do policial militar Leonardo Pinho Da Silva, de 29 anos, ocorrida no dia 22 de janeiro deste ano. O PM foi baleado num confronto com suspeitos de tráfico, na Rua 15, no bairro Padre Josimo.

Na troca de tiros, também morreu Marcos Camilo Da Silva, um dos suspeitos. O outro, Leonardo Freitas Da Silva, o Jiló, conseguiu fugir, mas foi preso dias depois. O PM que trabalhava com Pinho ficou ferido. Da reconstituição, participaram o PM e Jiló. Acompanharam o procedimento o delegado Wellington Vieira, o Ministério Público estadual e o advogado do suspeito preso.

De acordo com o delegado, a reconstituição é importante para diminuir contradições nos depoimentos. A perícia técnica deve apresentar um laudo num prazo de 30 dias. Para que a reconstituição fosse feita, a rua foi interditada pela Guarda Municipal.

Dezenas de moradores acompanharam. O advogado de Jiló, Marcelo Tolentino, afirmou que seu cliente não estava armado e que, segundo ele, Marcos Paraíba já começou a atirar contra os policiais assim que eles ficaram de frente com a viatura.

Disse também que Jiló saiu correndo quando o tiroteio começou e teria ficado em estado de choque. Ainda segundo o advogado, Jiló foi apresentado por ele na delegacia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui