O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda (CDL-VR), Gilson de Castro, e o da Aciap-VR (Associação Comercial, Industrial e Agropastorial de Volta Redonda), Luís Fernando Soares Cardoso, acompanhados de dois advogados, e representando ainda o Sindicato do Comércio Varejista de Volta Redonda (Sicomércio-VR), e Sipacon-SF (Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Sul Fluminense), participaram na manhã desta quarta-feira (dia 01) de uma videoconferência com os promotores de Tutela Coletiva do Ministério Público da Região Sul Fluminense, para, solicitar o antecipação da data prevista para reabertura do comércio, do dia 6 de abril, para o dia 3.

Durante a teleconferência, que durou cerca de 50 minutos, as entidades apresentaram a atual situação do comércio por conta da quarentena ocasionada pelo novo coronavírus, que já registra ao menos 1.759 demissões em apenas dez dias de fechamento, além de mais de 4 mil funcionários de férias, sem perspectiva de retorno aos seus postos de trabalho.

Também foi registrado que mais de 80% dos associados são micro e pequenas empresas, com até dez funcionários, que não dispõem de recursos para o cumprimento de suas obrigações financeiras, em especial, a folha de pagamento de seus colaboradores.

Segundo as entidades, o Ministério Público se comprometeu em realizar uma reunião interna ainda hoje entre seus membros e nesta quinta-feira (dia 02) uma outra com o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, para decidir sobre a flexibilização e antecipação da reabertura do comércio.

As entidades comerciais buscam uma reabertura do comércio, mas, seguindo medidas de prevenção impostas pelo Ministério da Saúde, que visam a proteção tanto da população, como da economia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui