A prisão de Elmo Silva Lopes Júnior, de 33 anos, põe fim a uma caçada que durava cerca de três anos. Juninho Nazaré, como é conhecido, é apontado pela Polícia Civil como integrante de uma organização criminosa carioca, sendo um dos principais líderes na região Sul Fluminense.

A busca pelo criminoso terminou na quarta-feira (dia 20), quando a Polícia Civil do Espírito Santo o encontrou e prendeu na recepção de um hotel de luxo na praia de Itaparica, em Vila Velha, na Grande Vitória, no Espírito Santo. Na hora da prisão, de acordo com a polícia, Juninho Nazaré quebrou alguns celulares e tentou subornar os policiais, oferecendo mais de R$ 19 mil em dinheiro.

Com passagens por tentativa de homicídio e procurado por tráfico de drogas, o traficante iniciou a carreira no crime atuando no Getúlio Vargas, em Barra Mansa. O Portal dos Procurados, que oferecia R$ 2 mil por informações que levassem à prisão do suspeito, Juninho Nazaré era apontado como líder do Comando Vermelho em Barra Mansa, Volta Redonda e Angra dos Reis.

Ele foi preso em duas ocasiões: em 2011 e 2014. Na primeira delas, teria atentado contra um rival do mesmo bairro. Em seguida, tomou o controle do tráfico no local. Ele voltou a ser notícia com a prisão de Fabrício Fernandes Alves, o “Bito”, no bairro Padre Josimo, em Volta Redonda. Bito controlaria o tráfico de drogas nos bairros Paraíso de Cima, Boa Vista, São Sebastião, e outras localidades da Região Leste
de Barra Mansa. No dia da prisão, ele estava em uma BMW blindada.

A operação que prendeu Bito foi desencadeada pela equipe do delegado Ronaldo Aparecido, da 90ª DP. As informações dão conta de que o veículo era usado para transportar drogas, armas e chefões do tráfico entre as bicas de fumo controladas pelo Comando Vermelho
na região. De acordo com a polícia, Juninho Nazaré também comanda o tráfico no complexo Roma, em Volta Redonda.

Contra Juninho Nazaré haviam seis mandados de prisão em aberto. O detido responde pelos crimes de organização criminosa, tráfico e associação para o tráfico de drogas, porte de arma de uso restrito, roubo a banco, explosão de caixas eletrônicos e homicídios. As investigações são conduzidas pela Polícia Civil de Barra Mansa.

Prisão na quarta

Um grande aparato foi montado na ação integrada da última quarta-feira (dia 20) comandada pela 1ª Delegacia Regional de Vitória e que contou com o apoio da Divisão Especializada de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio (DRCCP), da Polícia Rodoviária Federal, da Guarda Municipal e da Polícia Civil de Barra Mansa. “Nós iniciamos as diligências na noite de terça-feira (dia 19), no Aeroporto de Vitória, pois havia a informação de que o suspeito tinha a intenção de sair do País. Essas diligências se estenderam até quarta-feira de manhã, até que o localizamos em um hotel de luxo no município de Vila Velha”, explicou o delegado Rafael Corrêa, da regional de Vitória.

De acordo com a polícia capixaba, no momento da abordagem,
na recepção do hotel, o detido resistiu ativamente à prisão, sendo necessário o uso progressivo da força para contê-lo. “Ele tentou resistir à prisão de todas as formas. Ao ser algemado, ofereceu quantia em dinheiro, para que não fosse preso. Quando solicitamos a identificação, ele apresentou documento falso em nome de outra pessoa”, relatou o delegado.

Com o preso foi apreendida a quantia de R$ 19.502 em espécie, seis aparelhos celulares, notebook, joias, documentos falsos em nome de duas pessoas, além de contrato de locação de imóvel com nome falso, caderno com anotações financeiras, possivelmente do tráfico de drogas e um veículo de luxo. Além do cumprimento dos seis mandados, o conduzido foi autuado em flagrante pelos crimes de corrupção ativa, resistência, uso de documento falso e falsidade ideológica. Ele será encaminhado ao sistema prisional capixaba. A decisão sobre sua transferência para o Rio de Janeiro ficará a cargo do Poder Judiciário.

Monitoramento

De acordo com o Ministério Público do Rio, Juninho estava sendo monitorado. Ele chegou a ficar escondido na cidade mineira de Ipatinga, no Vale do Aço. A prisão no dia 15 de maio da advogada Jaqueline de Oliveira da Silva ajudou a aproximar as autoridades policiais do alvo.

Assim que tomou conhecimento da prisão pela advogada, o criminoso seguiu às pressas para Vila Velha. A partir daí, a equipe de policiais de
Barra Mansa, com auxílio de câmeras de vigilância, identificaram
o veículo utilizado por Juninho, um Range Rover, passando a monitorar o seu trajeto do carro, que seguia em rota de fuga.

A polícia do Espírito Santo foi informada das coordenadas do denunciado, e na quinta-feira, em cooperação com a delegacia de Barra Mansa, obteve a prisão de Juninho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui