Fabrício Queiroz, ex-assessor e ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), foi preso em Atibaia, interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (dia 18). Queiroz estava em um imóvel de Frederick Wasseff, advogado do Senador, e foi levado para a sede da Polícia Civil na capital paulista.

Policial militar aposentado, Queiroz movimentou, segundo relatório do Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), R$ 1,2 milhão de maneira “atípica”. Ele trabalhou para o filho do presidente antes de Flávio ser empossado como senador, no período em que ele era deputado estadual no Rio de Janeiro.

No Rio, a Polícia Civil também fez buscar em um imóvel que consta na relação de bens de Jair Bolsonaro, no bairro de Bento Ribeiro, zona norte da capital fluminense.

Em maio, durante troca de acusações com o governador Wilson Witzel (PSC), Bolsonaro chegou a elogiar Queiroz, o chamando de “cara correto” e “trabalhador”. Os mandatos de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça do Rio, como desdobramento do inquérito que apura o esquema de “rachadinha” na Alerj. Foto: Reprodução/Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui