A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) julga, nesta terça-feira (dia 1º), recurso do Flamengo contra a decisão da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca. Em novembro do ano passado, a Justiça determinou que o clube pagasse mensalmente R$ 10 mil para cada uma das famílias dos dez jogadores das categorias de base que morreram vítimas do incêndio no “Ninho do Urubu”, em fevereiro de 2019. O julgamento será virtual.

Documentos em poder da Justiça revelam que o Flamengo foi alertado para a situação de “grande risco” do alojamento nove meses antes do incêndio que matou 10 adolescentes da base, entre eles o volta-redondense Arthur Vinícius de Barros, que completaria 15 anos no dia seguinte ao acidente.

Em um e-mail datado de 11 de maio de 2018, por exemplo, os responsáveis pela administração do centro de treinamento receberam um relatório feito por um técnico contratado pelo Flamengo que apontava problemas em diversos itens do sistema elétrico. Esse relatório apontava a necessidade de um “atendimento emergencial”. A informação foi primeiramente publicada pelo site “Uol”.

No dia 8 de fevereiro de 2019, uma pane na eletricidade causou o incêndio que tirou a vida de Athila Souza Paixão, Arthur Vinícius de Barros, Bernardo Pisetta, Christian Esmério, Gedson Santos, Jorge Eduardo Santos, Pablo Henrique da Silva, Rykelmo de Souza, Samuel Thomas Rosa e Vitor Isaías.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui