A Polícia Civil indiciou o capitão do Corpo de bombeiros João Maurício Correia Passos, que atropelou e matou um ciclista no Recreio dos Bandeirantes, no Rio, por homicídio com dolo eventual, assumindo o risco de matar, fuga do local e embriaguez ao volante. O atropelamento aconteceu no final da madrugada da segunda-feira (dia 11). Cláudio Leite da Silva, de 57 anos, pedalava sozinho pela rua vazia e morreu na hora. O oficial fugiu sem prestar socorro. O carro que ele dirigia tem placa de Barra Mansa.

A polícia também analisou vídeos gravados em um posto de gasolina, onde o capitão parou e bebeu antes do acidente. Em um deles, gravado por câmeras de segurança, o bombeiro aparece comprando cerveja na loja de conveniência. Em outro momento da gravação, o capitão conversa com outro homem e dança, aparentemente alcoolizado. A imagem mostra o militar com duas garrafas de bebida, uma de vodca e outra de uísque, e um copo, que ele enche e, em seguida, bebe.

Segundo os investigadores, a cena aconteceu minutos antes do atropelamento. Após o acidente, o carro do bombeiro ficou com a lataria destruída. No interior, a polícia encontrou uma garrafa de uísque. O capitão fugiu para casa de um amigo na Rua Professora Souza Leão, a um quilômetro do local, mas foi encontrado e preso por agentes da Polícia Civil e da 2ª seção do Estado Maior do Corpo de Bombeiros.

Na delegacia, ele contou que não se lembra se dirigia em alta velocidade. Disse apenas que comprou um energético antes do acidente. O capitão disse ainda que fugiu “porque teve medo de ser linchado”. Imagens da hora do atropelamento, entretanto, mostram que o local estava deserto no momento do acidente.

O capitão Passos havia sido preso uma semana antes por agredir a mulher, deficiente física, mas foi solto no mesmo dia, após audiência de custódia. Em seu depoimento, a mulher dele disse que ficou paraplégica em um acidente de carro, no qual o marido dirigia após ingerir bebida alcoólica.

Os dois estão juntos há 14 anos e têm dois filhos. A mulher afirmou que o oficial disse que “queria arranjar uma mulher de verdade, que ela não era mulher pra ele” porque está em uma cadeira de rodas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui