O desemprego e a falta de perspectiva são fatores que ao longo dos anos vêm contribuindo para o aumento da população de rua nas grandes cidades e hoje atinge também os pequenos centros. Além disso, o abandono da família também leva milhares de pessoas a ficarem a mercê da sorte ou de políticas públicas que garantir ao menos o mínimo de dignidade.

Em Volta Redonda, os programas de acolhimento ofertam a essas pessoas serviços que promovem a oportunidade de um recomeço. O Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, mais conhecido como Centro Pop, oferece atendimento e atividades direcionadas para o desenvolvimento de sociabilidades, na perspectiva de fortalecimento de vínculos interpessoais e/ou familiares que oportunizem a construção de novos projetos de vida. “No Centro Pop, conseguimos garantir as pessoas em situação de rua local para higiene pessoal, alimentação, retirada de documentos, contato familiar e atendimento psicossocial”, explicou o secretário de Ação Comunitária (Smac), Marcus Vinicius Convençal.

A Smac também tem um programa de concessão de passagem para usuários em trânsito. Também realiza abordagens diurnas e noturnas em toda cidade, de forma programada e continuada. “Queremos que as melhorias sejam efetivas e estamos trabalhando para isso”, disse Marcus Vinícius. A administração municipal conta ainda com o Serviço de Acolhimento Institucional Abrigo Municipal Seu Nadim, que acolhe provisoriamente os adultos e famílias encaminhadas pelo Centro Pop.

O objetivo é resgatar os vínculos familiares, sociais e comunitários, assegurando a autonomia e construção de novos projetos de vida. “O município também conta com o projeto SuperAção, que tem onze pessoas em atendimento, e o Quarto de Passagem, para aqueles que não são daqui. Em abril, por exemplo, das 130 pessoas atendidas, 79 eram pessoas que estavam de passagem pelo município”, explicou o secretário.

Audiência

Para ajudar no enfrentamento da situação, Volta Redonda também conta com outros serviços de apoio ao trabalho da Smac, como o Consultório na Rua, que leva atendimento médico até as pessoas que vivem nas ruas. Além disso, há um Grupo de Trabalho Governamental, instituído pelo prefeito Samuca Silva (PSDB), que foi criado para discutir o Plano Municipal de Políticas Públicas para pessoas em situação de rua. “O grupo está planejando a realização de uma audiência pública para as próximas semanas. Essa audiência terá como objetivo escutar a população para a construção do plano municipal”, disse Marcus Vinícius.

Além disso, há o Comitê Intersetorial de Políticas Públicas para Pessoas em Situação de Rua, composto paritariamente por membros governamentais e não governamentais. “O nosso maior objetivo e dar dignidade a eles, que são cidadãos que merecem ter seus direitos garantidos, não só pela assistência social, mas por todas as demais políticas públicas”, finalizou o secretário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui