O Brasil voltou a brilhar na ginástica artística nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, nessa segunda-feira (dia 29). O time nacional faturou uma inédita dobradinha no individual geral masculino, com Caio Souza e Arthur Nory, medalhistas de ouro e prata, respectivamente.

Foi o primeiro pódio brasileiro no individual geral em um Pan. Antes o melhor resultado pertencia justamente a Caio, que obteve o quarto lugar nos Jogos de Toronto-2015. Nessa segunda, ele foi ainda melhor e garantiu a posição mais alta do pódio. E ainda teve a companhia de Nory.

Caio terminou a disputa, que contou com seis rotações (solo, cavalo, argolas, salto, paralelas e barra fixa), com 83,500 pontos. Ele foi seguido por Nory, que obteve 82,950. O canadense Cory Paterson levou o bronze, com 82,200. Em relação aos aparelhos, o novo campeão pan-americano anotou 13,600 no solo, 12,950 no cavalo, 14,250 nas argolas, 14,600 no salto, 13,700 nas paralelas e 14,400 na barra fixa. Pela mesma ordem, o medalhista de prata registrou 14,050, 12,950, 13,050, 14,650, 13,850 e 14,400.

Com o resultado, a equipe masculina brasileira ganha confiança para a disputa do Mundial de Stuttgart, em outubro, na Alemanha. A competição vai distribuir nove vagas olímpicas para os Jogos de Tóquio-2020.

Os ginastas brasileiros ainda podem voltar ao pódio nas disputas individuais por aparelhos. Nory vai disputar o maior número de finais: três – solo, barras paralelas e na barra fixa. Caio estará na final das paralelas também e nas argolas, ao lado do compatriota Arthur Zanetti, atual vice-campeão olímpico.

Com informações do Metrópolis

Foto: Divulgação COB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui