O Município de Volta Redonda não registra nenhum caso de Sarampo desde 2013. A secretaria municipal de Saúde informou que apesar do “surto ativo” do vírus em alguns pontos do país a cidade não recebeu nenhuma confirmação da doença. De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde apenas cinco casos foram registrados em todo o Estado do Rio.

O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, informou que a vacina contra o Sarampo é administrada como rotina em todas as Unidades Básicas de Saúde, de 8h as 17h. “Essa semana a Secretaria Estadual de Saúde liberou a administração da vacina Triviral para crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 1 ano, que irão se deslocar para os municípios que apresentam “surto ativo” de sarampo”, informou.

A coordenadora da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Milene de Souza Silva, especificou que a proteção contra o sarampo faz parte das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde para crianças entre 12 e 15 meses. “Crianças a partir de um ano de idade até pessoas de 29 anos, devem tomar duas doses. Pessoas de 30 a 49 anos, uma dose. Profissionais de saúde de qualquer idade, duas doses, já para gestantes, a vacina é contraindicada”, explicou.

Nas ruas da cidade, a população tem demonstrado que entendeu a importância de manter a caderneta de vacinação das crianças em dia. “Eu sempre fico de olho nas vacinas que a minha filha precisa tomar. A do Sarampo ela tomou na época certa e agora eu fico mais tranquila”, contou Raquel Ferreira, mãe da pequena Valentina, de 3 anos.

O prefeito Samuca Silva (PSDB) lembrou que o cidadão pode levar a sua caderneta de vacinação a uma unidade de saúde para verificar sempre se há necessidade de atualização. “Não há motivos para pânico na cidade. Não temos casos da doença aqui e aos pais que irão viajar para alguma das cidades com casos de Sarampo, basta ir a um posto de saúde atualizar a vacina dos seus filhos”, disse.

BM faz alerta para prevenção da doença

Mesmo sem nenhuma confirmação de caso de sarampo em Barra Mansa, a prefeitura está em alerta por conta dos surtos da doença que ocorreram em alguns estados do país, incluindo a capital carioca. Pensando nisso, a secretaria de Saúde reforça que todos os postos possuem as doses para serem administradas, conforme o protocolo do Ministério da Saúde.

No estado do Rio de Janeiro, as cidades com registro de sarampo, segundo o Ministério da Saúde, são: Rio, Paraty e Nilópolis. O MS registrou, entre os dias 5 de maio e 3 de agosto deste ano, 907 casos confirmados de sarampo no Brasil, em três estados: São Paulo (901 casos), Rio de Janeiro (5) e Bahia (1). Na região, após ser consagrada Patrimônio Histórico Cultural, Paraty tem enfrentado um grande desafio que é lidar com o surto da doença.

De acordo com os dados coletados pela secretaria estadual de Saúde, de janeiro a julho deste ano, pelo menos 10 casos foram confirmados no município. Segundo a Coordenadora do Núcleo de Imunização, Marlene Fialho, muitas pessoas lembram apenas das vacinas quando surgem essas situações que a doença fica em evidência. “Os profissionais das unidades de saúde do município têm se desdobrado para aumentar a atenção por conta da falta de atitude da população. Essa iniciativa é feita através de campanhas de conscientização e ações da secretaria em modo geral”, disse.

Em casos de perda do cartão ou dúvidas sobre ter ou não tomado a vacina contra a doença, a coordenadora explica que a melhor alternativa é procurar um posto mais próximo e garantir a dose. “Estamos em processo de implantação de um novo modelo de sistema, o SI-PNI. Em caso de perda do cartão ou registro vacinal, em qualquer local do país que esse indivíduo estiver, ele terá acesso ao seu histórico vacinal completo”, ressaltou.

SI-PNI

O Sistema Nominal de Imunização (SI-PNI) é uma iniciativa do Ministério da Saúde, que consiste em reunir informações e fazer o acompanhamento de todas as vacinações que o usuário tenha tomado em qualquer lugar do país. Hoje, em Barra Mansa, 49 salas de vacina estão informatizadas com o sistema de informação do Programa Nacional de Imunização.

Pessoas que devem tomar a vacina contra o sarampo:

Que ainda não tomaram na infância ou adolescência; Quem não tem certeza se já tomou as duas doses.

Pessoas a qual a vacina é contraindicada: Gestantes; Pessoas com baixa imunidade ou gripadas; Pacientes em tratamento contra o câncer; Pacientes portadores de doenças que derrubam o sistema imunológico, como a Aids. A orientação é que os que se encaixam em algum desses perfis procurem consultar um médico antes de tomar a vacina.

Foto: Chico Assis/PMBM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui