A prática de ações de responsabilidade social e sustentabilidade são cada dia mais efetivas nas empresas. Alinhado com este conceito, o Clube dos Funcionários (CFCSN) criou o Centro de Educação Ambiental e Prática Sustentáveis, localizado na Praça de Espores Tabajara (PET), na Vila Santa Cecília. A iniciativa acontece em parceria com duas empresas. “Fomos procurados pelo professor Roberto Guião, da empresa Doutor Catador, com o intuito de desenvolver uma atividade de tratamento adequado de resíduos sólidos. A ideia foi bem recebida pelo Clube e abraçamos o projeto”, disse o presidente Cláudio Augusto, o Claudinho.

O primeiro passo do Clube foi colocar uma área que servia como depósito de resíduos orgânicos (galhos, folhas, grama etc) destinada à criação de composteiras. O material, assim como as sobras de alimentos e outros resíduos orgânicos, passou a ser utilizado na compostagem, ao invés de depositado no lixo comum.

O sucesso da compostagem foi grande, motivando a criação de um espaço destinado a atividades de conscientização ecológica e educação ambiental. “Agregamos uma horta orgânica em forma de mandala, alimentada pelo rico adubo orgânico produzido no local, uma construção verde feita inteiramente com materiais reciclados, um biodigestor, que gera gás para alimentar um fogão e vários outros itens. A ideia é, além de promover um descarte adequado de resíduos sólidos, abrir o espaço para que associados e visitantes possam aprender sobre práticas sustentáveis e serem impactados no sentido de adotar no seu dia a dia, e também se transformarem em multiplicadores destas práticas e de uma nova consciência”, esclareceu o presidente do CFCSN.

Visitação

O espaço está disponível para visitas de escolas e grupos. Passeio pode ser agendado na secretaria do Clube. O projeto também está aberto a novos parceiros ou pessoas que queiram aprender como tratar de maneira correta os resíduos sólidos produzidos por elas. “Queremos oferecer aos nossos sócios a oportunidade de conhecer atividades que ainda são incipientes na sociedade. Queremos também trazer muitas crianças e adolescentes para conhecer o projeto, uma vez que a grande maioria deles nunca esteve em uma horta de verdade ou em uma composteira¨, disse o subdiretor de Sustentabilidade do Clube, Fausto Junior.

A visitação ao Centro de Educação Ambiental e Prática Sustentáveis do CFCSN está aberta a escolas públicas e privadas. O agendamento pode ser feito por telefone, por meio dos seguintes números: 99228-1605 (Imperialis Paisagismo) e 99976-1809 (Doutor Catador).

Outras práticas

O CFCSN vem, há algum tempo, adotando práticas de preservação e ações de conscientização sobre a importância de adotar posturas ecologicamente corretas. A primeira implementada foi a captação de águas pluviais para molhar as quadras de tênis. Em seguida, o clube passou a utilizar a água descartada após o processo de tratamento das piscinas para molhar os campos de futebol. As duas medidas, além de promover uma economia nas contas, reduziu consideravelmente o desperdício deste recurso tão importante.

Outra ação importante foi promover o plantio de vegetação nativa da Mata Atlântica na encosta da “Área Verde”, ocupada anteriormente por eucaliptos, uma espécie estranha ao bioma de nossa região, conforme especialistas. A entidade esportiva também abraçou projetos externos do Rotary Club, cedendo espaço para coleta de materiais eletrônicos, pilhas e baterias. Produtos que descartados de maneira errada causam estragos à natureza, contaminando solo e mananciais de água.

Atualmente, a instituição se encontra em um esforço para substituir toda a iluminação composta de lâmpadas tradicionais por LED, que além da economia de energia, são compostas por materiais que, quando descartados, são menos agressivos ao ecossistema. Recentemente, o CFCSN também lançou uma campanha pela conscientização quanto ao uso dos produtos descartáveis de plástico e adotou ações para reduzir a utilização e o descarte deste produto. Funcionários do clube, associados e atletas são convidados a reduzir o consumo de descartáveis plásticos utilizando recipientes reaproveitáveis, como garrafas, squeezes e canecas.

Além disso, nos bares da PET, as embalagens plásticas vêm sendo substituídas por opções biodegradáveis, como papel, por exemplo.

Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui