Entidades que atuam em defesa dos animais marcaram uma manifestação para a próxima segunda-feira (dia 23), a partir das 19h, na Praça Brasil, em Volta Redonda. O objetivo é cobrar punições para quem pratica maus tratos de animais. O ato foi planejado depois das cenas revoltantes, que tiveram repercussão nacional, da descoberta de uma rinha em Mairiporã, no estado de São Paulo, onde cães da raça pitbull eram colocados para brigar.

No local foram presas, pela Polícia Civil, 41 pessoas, mas 40 foram soltas logo em seguida por decisão de um juiz da comarca de Guarulhos, que não considerou grave o comportamento dos autuados a ponto de justificar a prisão preventiva. O único que teve a prisão preventiva decretada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo é apontado como o organizador do evento. Ele foi mencionado pelo proprietário do sítio onde a rinha acontecia, como responsável por alugar a propriedade e por fazer o pagamento da locação.

Entre os que foram presos em flagrante estavam um médico e um veterinário que, de acordo com a polícia, eram responsáveis por reanimar os cães machucados durante as lutas.

19 cães foram encontrados bastante feridos e um deles estava morto. De acordo com a polícia, 26 lutas entre cães estavam previstas para acontecer. Os animais resgatados apresentavam ferimentos, graves em alguns casos. Além dos cachorros, foram apreendidos envelopes com anotações de apostas, celulares, troféus, camisetas do “evento”, planilhas sobre lutas, medicamentos ilegais, seringas e outros insumos hospitalares que seriam usados nos cães.

A manifestação em Volta Redonda está sendo organizada pelas ONGs Instituto Planeta dos Animais, Amigas dos Bichos, SPA (Sociedade Protetora dos Animais) e Vira-Lata, com a colaboração de grupos de proteção animal de da cidade e também de Barra Mansa.

 “Há anos ONGs e protetores se mobilizam para exigir maior punição para os responsáveis por praticar maus-tratos a animais. Existem estudos que correlacionam cerca de 30% dos indiciados por crimes, como espancamentos e roubos, a maus-tratos a animais”, diz Mônica Torres, uma das divulgadoras da manifestação.

Segundo ela, o Poder Legislativo e a Justiça são “muito morosos e pouco eficientes”, principalmente em reconhecer que os animais são sujeitos de direito. “Eles ainda são considerados propriedade, como uma geladeira ou televisão. Essa inércia, somada aos aspectos culturais enraizados, levam à práticas de maus-tratos sem o menor pudor. Desde o abandono de animais, que acontece ao longo dos anos, mas muito mais nos períodos de festa, até a barbárie das rinhas de animais”, acrescenta.

Ela lembra que a investigação que levou à descoberta da rinha que mais dois locais foram encontrados com animais em condições sub-humanas.

 “A manifestação de segunda-feira é para mostrar ao Poder Legislativo e Judiciário que os animais precisam ter seus direitos respeitados”, enfatiza Mônica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui