Com apenas oito anos de idade e depois de treinar por dois anos na Escola Municipal de Ginástica de Trampolim de Volta Redonda, a aluna Helena do Carmo Romualdo Coutinho é a nova contratada para a equipe de ginástica artística do Clube de Regatas do Flamengo no Rio de Janeiro.

Após uma semana de testes no clube, ela foi aprovada pela treinadora Georgete Vidor de Mello, que assumiu em janeiro deste ano como supervisora técnica da equipe do Flamengo. A Escola Municipal de Ginástica de Trampolim é uma ação da Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel), e que segundo a prefeitura, desenvolve um trabalho de base com cerca de 200 crianças no Ginásio do bairro São Geraldo.

O diretor de esportes da Smel, Hygor Dias, destaca a importância desta contratação de uma atleta da Escola Municipal de Ginástica de Trampolim por um grande clube do Rio de Janeiro, como é reconhecido o Flamengo pelas dezenas de conquistas no esporte brasileiro de ginástica artística.

“É uma porta de oportunidades para novos talentos da cidade que a Helena está abrindo num grande clube, tradicional no esporte, com mais de 40 títulos conquistados pela treinadora Georgette Vidor na ginástica artística, atual supervisora técnica da equipe. Ela tem um olhar especial para revelar e reconhecer esses talentos. A detecção e valorização dos atletas da nossa cidade são alguns dos nossos objetivos junto aos projetos oferecidos pela Prefeitura de Volta Redonda através da Smel”, disse Hygor.

O pai da atleta, o professor da rede municipal e estadual Henri Nicolas do Carmo Coutinho, e a mãe, Camila Silvério Romualdo Coutinho, residem atualmente no Conjunto Habitacional Vila Rica, mas já estão procurando um pequeno apartamento na Gávea, no Rio de Janeiro, perto do Centro de Treinamento do Flamengo, onde a mãe vai morar para acompanhar a nova rotina da filha atleta, que inclui treinamento intenso e estudo durante a semana. Eles já conseguiram matricular Helena em uma escola na capital.

“Nós, os pais, estamos muito mais felizes e orgulhosos que ela, porque até agora a Helena não tem a dimensão da sua conquista. Ela já é federada aqui, e terá que ser federada no Rio. É motivo de orgulho sim, porque o Flamengo é um clube tradicional, formador de ginastas artísticos olímpicos. Tivemos sorte que ela foi indicada e a treinadora Georgette deu esta oportunidade. Ela já estava chegando na faixa da idade limite . O Flamengo somente trabalha com atletas a partir de seis ou sete anos. Era a última oportunidade na janela de fazer os testes”, enfatizou Henri.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui