O comércio de Volta Redonda permanecerá fechado pelo menos até o dia 13 de abril. A decisão foi anunciada na tarde de sexta-feira (dia 3) em transmissão ao vivo do prefeito Samuca Silva (PSC) pelas redes sociais. A prorrogação do prazo, segundo Samuca, segue orientação do Ministério Público Estadual e o decreto do governador Wilson Witzel (PSC).

O prefeito ainda destacou que os estabelecimentos comerciais permitidos para permanecerem abertos como supermercados e farmácias devem fornecer aos seus trabalhadores máscaras de proteção. O Município vai reproduzir em seu site material do Ministério da Saúde ensinando como fazer a peça. “Isso é importante. Estamos vendo os órgãos de saúde demonstrarem a importância da máscara. Vale lembrar que a utilização de máscara protege que alguém que
esteja contaminado e seja assintomático, passe o vírus para outra pessoa”, disse Samuca.

Já para os feirantes que trabalham com gêneros alimentícios, foi permitido pela prefeitura que, caso eles tenham um local fixo para vender seus produtos, terão permissão pelo prazo de 60 dias para venderem seus produtos de acordo com as determinações anteriores de se evitar aglomeração.

Samuca, no entanto, aproveitou o anúncio ao vivo para dar um recado à população, destacando a importância das restrições e do isolamento social.”Ainda estamos vendo muitas pessoas nas ruas. Precisamos ter consciência da importância do isolamento social. O vírus é o mesmo no mundo inteiro, estamos vendo a quantidade de mortos na Inglaterra, Estados Unidos, Itália. Vamos ficar em casa”, disse, ressaltando que a fiscalização da prefeitura está atuando para coibir comércios que
não estão liberados de abrirem as portas. O telefone para denúncia é o 156.

Diante dos dados confirmados, a administração municipal ampliou até a próxima sexta-feira (dia 10), o cancelamento da gratuidade da passagem de ônibus dos idosos com mais de 60 anos, visando assim diminuir o fluxo de pessoas da faixa de risco nas ruas. Samuca voltou a dizer que tem muita gente nas ruas e citou os exemplos de
países onde a propagação se tornou fora de controle, como Estados Unidos, Inglaterra e Equador. “Vamos acompanhar [a medida] semana a semana”, avisou.

Demissões no comércio

Ainda na transmissão de sexta-feira, o chefe do Executivo comentou mais uma vez as demissões de trabalhadores do comércio. Conforme a Folha do Aço antecipou na última edição. Segundo ele, as demissões são preferíveis em vez de 1,7 mil famílias “arrasadas pela doença”.

A prefeitura informou que a cidade soma 52 casos da doença. Até agora foram duas mortes, de um casal de irmãos idosos. Não há nenhuma outra morte suspeita. Os novos casos divulgados na sexta-feira são de quatro homens – dois de 76 e os demais de 68, 54, 46 e 34 anos – e três mulheres -de 76, 59 e 46 anos. Nove pessoas estão internadas, sendo quatro devido ao coronavírus e as demais por suspeita da infecção. O número de casos suspeitos chega a 410 na cidade.

Ele disse também que as empresas de ônibus terão que informar regras aos passageiros antes de eles embarcarem. De acordo com o prefeito, as empresas que não estão respeitando o decreto estabelecendo apenas passageiros sentados e mantendo distância um do outro em bancos alternados estão sendo multadas.

Pacote social

Na sua live, o prefeito disse também que no domingo anunciará um pacote social, que prevê o envio de alimentos para “as pessoas que estão sendo prejudicadas”. E tornou a tocar na questão econômica: “Finalmente o governo federal fez o que já devia ter feito há muito tempo”, disse ele em relação às medidas anunciadas em Brasília para
socorrer pequenas e média empresas. “Enquanto o governo federal socorre as empresas, a gente salva vidas”, acrescentou.

Pacote econômico

O prefeito de Volta Redonda disse também que, no domingo, anunciará
um pacote de medidas visando a redução de gastos do município, devido à queda de arrecadação. “Até agora não
vi anúncio do governo federal em auxílio às prefeituras”, reclamou.

Merenda

Samuca disse também que a prefeitura está definindo a forma como
será feita a distribuição de alimentos para os 39 mil alunos da rede municipal, já que a merenda é servida nas escolas e as aulas seguem suspensas por tempo indeterminado. Ele disse que a providência ainda não foi tomada porque só na quinta-feira (dia 2) a prefeitura foi notificada da decisão judicial autorizando a fazer a entrega
às famílias. Ele confirmou que os alimentos serão encaminhados de forma a serem preparados na casa do aluno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui