Casos de coronavírus estão aumentando a cada dia. Em Volta Redonda, não é diferente. Primeiros óbitos registrados na cidade, os dois irmãos de 66 e 67 anos, que morreram em março, foram cremados e a família aguarda a pandemia passar para conseguir realizar uma cerimônia fúnebre.

É o que conta uma reportagem publicada neste domingo (dia 5), pelo jornal O Globo. A família contou que a última vez que se reuniu foi para comemorar um aniversário no fim de semana de 7 de março. Das 80  pessoas que participaram da comemoração em um salão de festas, pelo menos oito, todas da família, apresentaram sintomas de Covid-19 nos dias e semanas seguintes.

Os irmão estavam internados no Hospital São João Batista e morreram em um intervalo de 48 horas. Os corpos foram cremados, sem velório. Ainda  se recuperando da doença e temendo contaminar outras pessoas, a família espera o fim da pandemia para fazer uma espécie de cerimônia simbólica de despedida.
“As urnas fúnebres com as cinzas continuam no crematório. Os parentes  ainda discutem como será essa cerimônia, deve haver uma missa. Estamos todos reclusos, isolados, como a maior parte da cidade. A pandemia não permitiu nem viver esse luto”, diz uma integrante da família, que pediu para nem ela nem os mortos serem identificados.

Com informações do jornal O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui