Em entrevista ao jornal Bom dia Rio, da Rede Globo, na manhã desta quarta-feira (dia 27), o governador Wilson Witzel (PSC) voltou a criticar a Operação Placebo e afirmou ser vítima de uma perseguição política.

Witzel e sua mulher, Helena, são investigados por suspeita de fraude na saúde durante a pandemia de Covid-19. A Polícia Federal, cumpriu mandatos de busca e apreensão no Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governo, e no antigo endereço do governador, no bairro do Grajaú, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Witzel levantou suspeitas sobre o procurador-geral da República, Augusto Aras e acusou Jair Bolsonaro. “Chegou ao meu conhecimento que essa investigação partiu de dentro do gabinete do procurador-geral da República, com aquiescência do presidente da República”, disse o governador.

Nesta quarta-feira (dia 27), o presidente Jair Bolsonaro, afirmou que novas operações da PF irão acontecer. “Vai ter mais, enquanto eu for presidente, vai ter mais. No Brasil todo. Isso não é informação privilegiada não, vão falar que é informação privilegiada”, confirmou o presidente. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui