O secretário estadual de Saúde, Alex Bousquet, autorizou o repasse de R$ 22,4 milhões para o Hospital Regional Zilda Arns, no bairro Roma. Segundo o governo do estado, deste valor, R$ 2,9 milhões já foram liberados e cerca de R$ 20 milhões serão depositados até quinta-feira (dia 9) na conta da Imaps, Organização Social (OS) que administra a unidade.

Com a liberação do recurso, a expectativa é pela normalização do atendimento no Hospital Regional de pacientes da Cidade do Aço e de outros municípios. A unidade é a principal especializada no tratamento da Covid-19 no interior do estado.

Desde junho, a transferência para o hospital estava sendo negada sob alegação da Central de Regulação Regional de que a unidade não poderia receber pacientes por problemas operacionais. A recusa levou a prefeitura de Volta Redonda a decretar o fechamento do comércio pela segunda semana consecutiva, por conta da ocupação das UTI’s da rede municipal superarem o limite estabelecido em acordo com o Poder Judiciário.

A partir disso, representantes de prefeituras da região e políticos com base eleitoral no Sul do Estado encaminharam ofícios para a secretaria estadual de Saúde pedindo soluções.

A cobrança também foi realizada pelo Ministério Público Estadual (MPRJ), por meio das Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva dos núcleos de Volta Redonda, Resende, Vassouras e Três Rios, que no dia 22 de junho expediram Recomendação ao Estado, na figura do governador Wilson Witzel (PSC), e de Alex Bousquet, secretário de Saúde, para que fosse regularizado o pagamento de todos os valores devidos à OS Imaps. Nesta segunda-feira (dia 6), a pasta informou a liberação dos recursos.

Mais recursos           

No total, a secretaria estadual de Saúde anunciou o repasse de R$ 126,5 milhões para hospitais e UPAs do Estado administradas por organizações sociais. O dinheiro já está sendo liberado e estará na conta das OSs entre quarta e quinta-feira desta semana. Além desses valores, também foram autorizados os repasses de R$ 6,4 milhões para o Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj; R$ 15,8 milhões para pagamento de pessoal da Fundação de Saúde do estado; e R$ 440 mil para Instituto Vital Brasil.

 Os pagamentos estão sendo autorizados somente após auditoria interna da SES atestar a regularidade de contratos e prestações de contas apresentadas pelas organizações sociais. Contratos nos quais forem constatadas irregularidades não serão pagos até que os problemas tenham sido corrigidos.

“Outros contratos continuam sendo revisados pela SES e, se estiverem regulares, mais pagamentos serão liberados nos próximos dias”, informou em nota o governo estadual.

Para os hospitais e UPAS geridos pelas organizações sociais foram liberados pela SES os seguintes valores:

– R$ 12,7 milhões para o Azevedo Lima (Instituto Sócrates Guanaes)

– R$ 20,4 milhões para o complexo que inclui Hospital Alberto Torres, Hospital João Batista Cáffaro e UPA São Gonçalo 1 (Instituto Lagos Rio)

– R$ 3,6 milhões para a UTI e clínica médica do Hospital Carlos Chagas (Instituto Lagos Rio)

– R$ 16,7 milhões para o Getúlio Vargas e a UPA Penha (Complexo Penha, do Instituto Solidário)

– R$ 4,5 milhões para o Hospital da Mãe (Instituto Gnosis)

– R$ 22,4 milhões para o Zilda Arns (Apmim) – Desses, R$ 2,9 já foram liberados e quase R$ 20 milhões serão liberados ainda esta semana

– R$ 8,2 milhões para o Complexo Lagos (Hospital dos Lagos e o Hospital Roberto Chabo, administrador pela Cruz Vermelha Brasileira)

– R$ 1,6 milhão para a UPA Bangu (Mahatma Ghandi)

– R$ 1,4 milhão para a UPA Botafogo (Viva Rio)

– R$ 2,9 milhões às UPAs Campo Grande I e II (Associação Filantrópica Nova Esperança- AFNE)

–  R$ 1,0 milhão para a UPA Campos dos Goytacazes (Instituto Lagos Rio)

– R$ 1,4 milhão para a Copacabana (Viva Rio)

– R$ 3 milhões às UPAs Duque de Caxias I e II (Instituto Diva Alves do Brasil)

– R$ 1,4 milhão para a UPA Engenho Novo (Vivo Rio)

– R$ 1 milhão para a UPA Ilha do Governador (Vivo Rio)

– R$ 1,3 milhão para a UPA Irajá (Vivo Rio)

– R$ 1,4 milhão para a UPA Itaboraí (AFNE)

– R$ 1,5 milhão para a UPA Jacarepaguá (Vivo Rio)

– R$ 1,3 milhão para a UPA Magé (Instituto Diva Alves do Brasil)

– R$ 1,3 milhão para a UPA Maré (Viva Rio)

– R$ 1,4 milhão para a UPA Marechal Hermes (Mahatma Gandhi)

– R$ 1,1 milhão para a UPA Mesquita (Mahatma Gandhi)

– R$ 1,2 milhão para a UPA Niterói (AFNE)

– R$ 1,1 milhão para a UPA Nova Iguaçu I (Lagos Rio)

– R$ 1,1 milhão para a UPA Nova Iguaçu II (Mahatma Gandhi)

– R$ 1,1 milhão para a UPA Queimados (Instituto Diva Alves do Brasil)

– R$ 1,4 milhão para a UPA Realengo (Mahatma Gandhi)

– R$ 1,4 milhão para a UPA Ricardo de Albuquerque (Mahatma Gandhi)

– R$ 1,2 milhão para a UPA Santa Cruz (AFNE)

– R$ 1,3 milhão para a UPA São Gonçalo II (AFNE)

– R$ 2,9 milhões para a UPA SEAP (AFNE)

– R$ 1,3 milhão para a UPA Tijuca (Viva Rio)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui