Há exatos 32 anos, no dia 9 de novembro de 1988, a história de Volta Redonda foi marcada pela greve dos trabalhadores da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Mais de 10 mil metalúrgicos cruzaram os braços exigindo diversos direitos, que culminou na invasão da empresa pelo exército e que resultou na morte de três operários, William Fernandes Leite, de 22 anos; Valmir Freitas Monteiro, de 27 anos; e Carlos Augusto Barroso, de 19 anos.  

Entre as reivindicações, estavam a readmissão dos trabalhadores demitidos por perseguição política, a redução de oito para seis horas da jornada de trabalho para as atividades ininterruptas e ainda um reajuste salarial.

Conheça a história

O ato teve início no dia 4 de novembro de 1988, quando Juarez Antunes, que era o presidente do sindicato, e outros sindicalistas convocaram uma assembléia em frente ao Escritório Central da CSN, na Vila Santa Cecília, para apresentar as dez reivindicações dos trabalhadores da CSN, entre elas: o reajuste salarial com base no índice do Dieese, reposição salarial de 26,06% do expurgo da inflação, turno de 6 horas, readmissão dos demitidos em agosto de 1987, reconhecimento oficial dos representantes sindicais eleitos e a divulgação do Sistema de Classificação de Cargos e Salários.

No dia 7 de novembro de 1988, os metalúrgicos entraram em greve e ocuparam a usina. Na noite de 9 de novembro, o presidente José Sarney autorizou o exército a invadir a fábrica, sob o comando do General José Luiz Lopes. Soldados do exército, vindos de Valença, Petrópolis e do Batalhão de Choque da Polícia Militar dispersaram uma manifestação pública pacífica que acontecia em frente ao Escritório Central da CSN, transformando o centro da Vila Santa Cecília em um verdadeiro ampo de batalha. Os militares invadiram a fábrica, atirando nos operários. Dezenas de trabalhadores foram feridos três foram mortos: Willina, Valmir e Barroso. Após o assassinato destes três operários, os trabalhadores continuaram a sua greve até a conquista de suas reivindicações e a retirada do exército da cidade, o que aconteceu em 23 de novembro.

Memorial

No dia 1º de maio de 1989, foi inaugurado o memorial “9 de novembro” e a Praça Prefeito Juarez Antunes, o Metalúrgico, onde foi colocado o memorial. A obra foi criada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e construída pelo sindicato e por metalúrgicos da época.

Fotos: Arquivo Sindicato dos Metalúrgicos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui