Fábrica de Resende pode ser afetada com plano de cortes

O grupo Nissan tem intenção cortar mais de 10 mil postos de trabalho de suas operações globais, o que pode atingir a fábrica de Resende, no Sul Fluminense. Citando fontes da empresa e da indústria, a agência de notícias Kyodo e a emissora NHK, informaram na quarta-feira (dia 24) que as unidades com baixa rentabilidade estariam sujeitas ao plano de cortes. A montadora japonesa emprega cerca de 139 mil pessoas no mundo todo.

Na quinta-feira (dia 25), a Nissan Motor anunciou que teve uma queda de 94,5% no seu lucro líquido no primeiro trimestre do seu ano fiscal de 2019 a respeito do mesmo período do ano passado, com uma descida de 12,7% nas suas receitas. Numa conferência de imprensa desde a sua sede, na cidade de Yokohama, a empresa informou que o lucro líquido entre os passados meses de abril e junho chegou a cerca de 6.400 milhões de ienes (53,2 milhões de euros).

No mesmo período de 2018, o lucro líquido foi de aproximadamente 115.800 milhões de ienes (962,3 milhões de euros). O lucro trimestral operacional caiu 98,5%, até perto de 1.600 milhões de ienes (13,3 milhões de euros). Além disso, a Nissan informou que o seu volume trimestral de vendas caiu 6% ao nível global, até 1,23 milhões de unidades. Só no Japão as vendas reduziram-se 2,6%, na Europa (incluída Rússia) caíram 16,3%, mas na China cresceram 2,3%.

Além disso, a companhia anunciou que, como parte de uma “otimização” da sua produção, vai dispensar 12.500 trabalhadores nos próximos anos em oito países que não foram avançados, o que representa redução de 9% da força de trabalho total da empresa. Em alguns casos serão cortadas linhas de produção de determinada fábrica e em outros a fábrica completa, segundo anunciou na conferência de imprensa o diretor do grupo japonês, Hiroto Saikawa.

Procurada pela Folha do Aço, a Nissan do Brasil não se pronunciou sobre as possíveis demissões em Resende.

Modelos

No Brasil, o único desses modelos com grande volume fabricado pela Nissam é o Kicks, terceiro SUV mais vendido no país, com 29,2 mil unidades no acumulado de janeiro até 22 de julho. O Versa teve 11,4 mil emplacamentos neste mesmo período, o March, 3,2 mil e a Frontier, 4,3 mil. A fábrica de Resende é a que emprega maior número de funcionários, 2,4 mil, trabalhando em dois turnos.

A unidade de Córdoba foi inaugurada há um ano com mil empregados diretos. O plano para 2019 era produzir ali cerca de 50 mil picapes na soma de Frontier, Renault Alaskan e Mercedes Classe X. A montadora alemã, no entanto, recuou da decisão de fazer ali seu utilitário e a Alaskan ainda não entrou em linha na Argentina.

Foto: Divulgação/Nissan

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui