O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva (PSC) afirmou, na tarde desta terça-feira (dia 9), que protocolou na 6ª Vara Cível um pedido para que o município tenha independência em relação ao estado do Rio de Janeiro para flexibilizar o funcionamento de setores como academias, igrejas e templos religiosos. Segundo Samuca, o pedido apresentado ao juiz André Aiex Baptista, é uma forma de “não estar sujeito a decisões instáveis”.

De acordo com o prefeito, atualmente a reabertura de academias, clubes, templos e igrejas está inteiramente condicionada as medidas estaduais, pois no acordo estabelecido junto ao MPRJ, esses estabelecimentos não foram incluídos. “Temos que lembrar que o Ministério Público foi contra a flexibilização destes serviços e que Volta Redonda é ré numa ação judicial e, em caso de descumprimento das medidas, terá que pagar R$1,5 milhões de multa”.

Segundo Samuca, o pedido de autonomia protocolado na Justiça se deve ao rígido controle da pandemia no município. “Eu defendo que as atividades retornem dentro de uma segurança. Volta Redonda fez o dever de casa e pôde controlar a doença”.

Comércio

Durante seu pronunciamento nas redes sociais, o prefeito revelou que a partir dessa quarta-feira (dia 10), o comércio varejista poderá funcionar a partir de 12h, com horário de fechamento definido por cada comerciante. Já bares e restaurantes, funcionarão em horário livre, mas com 30% de sua capacidade em conformidade com o decreto municipal. Na manhã dessa terça-feira (dia 9), o novo acordo realizado na semana passada, entre prefeitura e MPRJ foi enviado à Justiça para homologação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui