Assim como foi na era pré-privatização, os funcionários da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) voltarão a ter acesso a uma unidade médica praticamente exclusiva. A estrutura anunciada quinta-feira (dia 2) faz parte do contrato com a LIV Saúde. A nova operadora de saúde pertence ao grupo ICC, holding que desde junho administra o Hospital Santa Cecília. Segundo a CSN, o acordo entra em vigor no dia 1º de outubro.

A direção da CSN garante que a alteração do plano de saúde não trará prejuízo aos funcionários. “Pelo contrário, poderão, agora, contar com uma rede de assistência que opera um hospital próprio, mas, também, mantém convênios com diversos hospitais, clínicas, laboratórios e parceiros de excelência na prestação de serviços de saúde.

O padrão LIV Saúde será exigido desses parceiros, acarretando melhoria no atendimento aos usuários, mesmo naqueles estabelecimentos que já atendiam no plano de saúde anterior”, reforça a empresa, por meio de comunicado. A LIV Saúde é conhecida por aliar equipes médicas integradas com tecnologia de última geração. A empresa tem experiência na gestão de planos de saúde, com atendimento integrado e voltado para a saúde plena de seus associados.

“Estamos conversando há mais de um ano. O que estamos trazendo para Volta Redonda é uma solução completa, oferecendo um serviço diferenciado e de qualidade, garantindo a satisfação dos funcionários e da CSN. Nossa rede mista garante uma integração de nossa rede própria, tendo o Hospital Santa Cecília como referência, além de outras unidades em toda a região, com nossa rede credenciada de prestadores de serviço, garantindo excelência e maior capilaridade para nosso beneficiário. Esse diferencial, somado à nossa equipe de saúde integrada, traduzirá em melhores resultados em saúde”, afirmou Pedro Meneleu, CEO do grupo ICC.

A LIV Saúde utiliza o Watson Health, uma plataforma de computação cognitiva da IBM que analisa todo o histórico médico do paciente e sugere opções diagnósticas e terapêuticas baseadas nas melhores evidências científicas mundiais. Com isso, é possível aumentar o potencial de assertividade, segurança e resolutividade do diagnóstico do paciente. “Com o uso de inteligência artificial, é possível ter uma predição estatística em cada linha de cuidado. Isso permite identificar, monitorar e cuidar de forma próxima e eficiente os pacientes crônicos”, destaca a nota.

AAP-VR

O novo acordo também contempla a Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda (AAP-VR).  Os sócios da entidade terão acesso pelo plano, por exemplo, a tratamento com psicólogos.

“Explicamos para a APP-VR que a partir de agora todos os aposentados passarão a ter um plano de saúde regulamentado pela ANS (Agência Nacional de Saúde), trazendo mais segurança e tranquilidade. Os planos antigos, anteriores a 1999, estão desatualizados em relação ao rol de cobertura da Agência, de forma que muitos procedimentos anteriormente cobertos eram autorizados por liberalidade, ao passo que agora estão todos registrados, assegurando o direito do beneficiário. Também estamos à disposição da Associação para identificar as necessidades e juntos construirmos soluções que busquem um melhor atendimento. Entendemos que eles têm uma expertise grande e queremos ter uma relação de diálogo e aproximação”, explica Pedro Meneleu.

Na LIV Saúde, cada uma das 10 linhas de cuidado disponibilizadas pela operadora têm um médico específico que é chamado de líder da linha, ou gate keeper, ou seja, aquele responsável pelo acompanhamento dos pacientes. Este médico acompanha cada paciente inserido na sua linha de cuidado, agendando consultas, exames e encaminhando para outros especialistas com os quais mantém contato para, de forma conjunta, determinar a melhor maneira de conduzir o caso e garantir o bem-estar do paciente.

Para auxiliar no tratamento do paciente e monitorar cotidianamente a rotina deste, o médico utilizará o Health Navigator como um coordenador em saúde, monitorando cada paciente e sua evolução no tratamento de saúde. Dentre as nove linhas, estão: Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS); Diabetes Melitus (DM); Paciente Críticos; Saúde do Idoso; Saúde Mental; Saúde Materno Infantil (Ambulatório de Gestantes de Alto Risco – AGAR e Pediatria); Oncologia; Obesidade, cuidados paliativos e Ortopedia. “Não se trata, apenas, de uma mudança de carteirinha. Trata-se de um novo plano de saúde integrado que age diretamente junto aos pacientes, não atuando somente como um intermediário”, ressalta a CSN.

Em nota, a AAP informou que a proposta apresentada prevê que a LIV Saúde deverá manter as mesmas condições de atendimento e qualidade que é oferecida aos aposentados, pensionistas e seus dependentes. “Divulgaremos mais informações e um canal de atendimento para que as dúvidas possam ser esclarecidas. Mas a informação é que, para os aposentados e pensionistas, um dos maiores benefícios do novo plano é que ele já será um produto regulamentado pela Lei 9.656/98, que garante aos beneficiários direitos a procedimentos e exames de maior complexidade, como ressonância e tomografia, que até então não eram cobertos pelo plano anterior”, diz trecho do documento assinado pelo presidente da entidade, Ubirajara Vaz.

A informação é que há, também, estudos para a redução do fator moderador de 50% para 30% e a implantação do fator moderador de apenas R$ 1,00, quando o beneficiário utilizar qualquer serviço da Rede Própria da LIV. “A Associação estará acompanhado toda essa migração e amparando seus associados. Esse é o nosso compromisso”, finalizou.

Sindicato tenta suspender mudança

O Sindicato dos Metalúrgicos foi pego de surpresa, na quarta-feira (dia 1º), com a informação de que a CSN substituirá o plano de saúde dos trabalhadores da empresa a partir de 1° de outubro. O departamento jurídico da entidade já está atuando para tentar suspender a mudança.
“Não temos reclamação sobre o plano de saúde dos trabalhares, que vem atendendo bem por mais de 24 anos. Vamos atuar para que essa ação arbitrária da empresa não aconteça”, disse o presidente do sindicato, Silvio Campos.

A entidade de classe informou à CSN que irá notificá-la para que apresente formalmente todas as condições de atendimentos, credenciamentos de profissionais, coberturas, abrangências, política de reembolso, dentre outros aspectos. A rede ICC/LIV Saúde comprometeu-se em detalhar o serviço em uma próxima reunião, com todas as informações das redes credenciadas e a cobertura.
“Mesmo assim, nos posicionamos contra essa mudança. Reforço o entendimento de que nenhuma alteração que pode ser prejudicial ao trabalhador poderá ser feita. A empresa deverá manter no mínimo, as mesmas condições de atendimento e qualidade que hoje já são ofertadas aos trabalhadores e seus dependentes”, afirmou o sindicalista.

Senge

Até o início da tarde de sexta-feira (dia 3), o Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda (Senge-VR) não havia sido comunicado sobre a alteração no plano de saúde da categoria. Em contato com a Folha do Aço, o presidente da entidade, Fernando Jogaib, informou que aguarda a oficialização por escrito da mudança. “Vamos aguardar, mas espero que todos os direitos anteriores sejam respeitados. Assim que formos notificados,  vamos abrir um canal para que os associados façam questionamentos”, adiantou Jogaib.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui