Acostumado a receber grandes partidas de futebol, por conta da pandemia da Covid-19, o Estádio Raulino de Oliveira, desde o mês de abril, passou a ser utilizado para abrigar um hospital de campanha. A unidade de média complexidade está auxiliando no tratamento de pacientes infectados com o Coronavirús. Por conta disso, o Volta Redonda, que estreia na Série C no dia 10 de agosto, terá que buscar outro estádio para mandar os seus jogos na competição.

Cenário que, nos últimos dias, passou a criar alguns comentários na cidade, alegando que a diretoria do Voltaço estaria descontente com a manutenção da unidade no estádio. Informação que o vice-presidente, Flávio Horta Júnior, fez questão de negar.

“Estamos passando por um momento único, do qual a saúde tem que ser prioridade. Se a prefeitura entendeu que o Raulino de Oliveira era o melhor local para se montar o hospital de campanha, por conta das circunstâncias, como localidade, por exemplo, o Volta Redonda não deve e nunca irá contestar esta decisão. Inclusive, o clube entende a importância que o hospital teve no combate a pandemia, já que o número de casos na cidade explodiu muito cedo e a unidade trouxe um conforto para a população”, destacou.

Sobre a desmontagem do hospital de campanha, Horta Júnior afirmou que torce para que aconteça o quanto antes, mas que o clube entende que deverá acontecer somente quando a prefeitura definir que é o momento ideal.

“2020 está sendo um ano que todo mundo está precisando abdicar de algumas coisas, sofrer para poder enfrentar este momento e, no caso do Volta Redonda, está sendo ficar sem o Raulino de Oliveira. Uma pena, pois o estádio sempre foi um grande aliado do clube. Quando o hospital de campanha não for mais necessário, aí entendemos que ele deverá ser desmontado para começarmos a planejar o retorno dos jogos. Entretanto, por enquanto, volto a repetir que a saúde da população tem que ser prioridade e não iremos contestar a manutenção da unidade no Raulino. Enquanto isso, estamos estudando as possibilidades de estádios para mandarmos os nossos jogos e deveremos definir em breve”, destacou.

Outras opções

A estrutura do hospital de campanha foi montada para não sobrecarregar o atendimento nas unidades públicas de Volta Redonda. Segundo a prefeitura, são 114 leitos disponíveis e uma sala vermelha, para casos mais urgentes com respirador.

A princípio, chegou-se a cogitar a possibilidade de a estrutura ser montada na Ilha São João. Um dos fatores que levou ao descarte da ideia é que o espaço passa por obras para a criação de um novo Jardim Botânico.

De acordo com o projeto, o local vai permanecer com as estruturas existentes e ganhará uma grande área de lazer, designado de ‘Lazer Passivo. A transformação da Ilha São João inclui a construção de lago, fonte, pista de caminhada, parquinho e estrutura para churrasco.

Além disso, influenciou na definição pelo Estádio Raulino de Oliveira o fato do complexo abrigar a Policlínica, com acesso a equipamentos de imagens, que pode auxiliar no diagnóstico e tratamento dos pacientes internados na unidade provisória.  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui