A Delegacia de Polícia Federal em Angra dos Reis cumpriu, nesta quinta-feira (dia 1º), mandados de busca e apreensão nos municípios de Angra dos Reis, e nos municípios de São Vicente e Santos, em São Paulo. A ação teve como objetivo identificar as pessoas que atuavam como “laranjas”, por um dos líderes de uma famosa facção criminosa, e apreendeu documentos e celulares.

O narcotraficante, que teve sua prisão decretada em 2019, era acusado de esquematizar o comércio de drogas, via Porto de Santos, o maior da América Latina, sendo a principal ligação marítima entre o Brasil e a Europa. No decorrer das investigações, a Polícia Federal identificou diversos imóveis de alto padrão em Angra dos Reis, em nome de pessoas que declaram renda mensal equivalente a um salário mínimo, algumas, inclusive, recebendo auxílio emergencial.

Os bens, avaliados entre R$ 2.500.000,00 a R$ 5.000.000,00, já foram bloqueados pela justiça a pedido da Polícia Federal, que segue com as investigações.

Esta é mais uma das ações desencadeadas pela Polícia Federal que apuram delitos de lavagem de dinheiro e organização criminosa, e tem como foco a descapitalização de integrantes de uma facção criminosa que possui atuação nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

O nome da Operação faz alusão à influência de integrantes da organização criminosa em relação à obstrução das investigações, caracterizada pela ausência de colaboração dos envolvidos por temor à facção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui