O Instituto do Câncer do Ceará (ICC) não terá vida fácil para assumir o antigo Hospital da Companhia Siderúrgica Nacional, na Vila Santa Cecília. Mesmo com a negociação avançada para adquirir a unidade inaugurada em 1963, o acerto ainda está distante de ser sacramentado.

Conforme a Folha do Aço antecipou na edição 448, há um acordo verbal entre a CSN e o grupo de médicos do Hospital das Clínicas pela gestão da unidade. A validade inicialmente seria de três meses, mas já passaram quase 540 dias, sem que um novo prazo fosse estipulado.

Outro detalhe importante, é que a administração do HC tem cumprido, segundo pessoas consultadas pela reportagem, regiamente com o pagamento do aluguel do imóvel, algo na casa de R$ 500 mil por mês. Tal fato, segundo especialistas, impede uma execução de ordem judicial de despejo. Pesa também contra os interessados em assumir de forma imediata o controle do antigo Hospital da CSN, o entendimento jurídico de que uma desocupação de hospitais, leve ao menos seis meses.

O novo embate, desta vez fora dos campos da especulação, está marcado para o dia 20, em uma audiência de conciliação no gabinete do juiz da 4ª Vara Cível, Roberto Henrique dos Reis. Estarão frente a frente advogados da CSN, do Hospital das Clínicas e provavelmente da instituição filantrópica ICC. A expectativa é que seja proposta uma desocupação amigável do espaço.

Assinatura

O contrato de cessão de exploração do hospital entre CSN e ICC foi assinado no último dia 20 de janeiro. O acordo tinha previsão de que, em 30 dias, fosse feita a transição da atual gestão, comandada pelos médicos do antigo Vita depois da intervenção judicial que indicou um administrador para a unidade. Dias depois, o caso passou a ser tratado na 4ª Vara Cível.

Poucos dias antes do início da disputa na Justiça, os diretores do ICC se reuniram com o prefeito Samuca Silva (PSDB) e o secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, para “apresentar projetos da iniciativa privada para a área de saúde da região”. No encontro, realizado no dia 23 no Palácio 17 de Julho, foi detalhado que, além da assistência em saúde, a nova gestão pretendia investir “em inovação tecnológica e educação”. Além de manter a gama atual de atendimento, a nova administração projetava “ampliar o foco e o potencial da instituição”.

Enquanto o imbróglio não tem um desfecho, o antigo Hospital da CSN segue como Hospital das Clínicas, conforme determinou a Justiça em julho de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui