Na tarde desta segunda-feira (dia 27), a prefeita interina de Barra Mansa, Fátima Lima, se reuniu com representantes do consórcio Concremat/Egis e da construtora RPX, com os moradores da Várzea do Quartel e com os secretários de Planejamento Urbano, Eros do Santos, e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Vinícius Azevedo, para definir o andamento das obras da construção das unidades residenciais e comerciais, referentes às desapropriações necessárias para continuidade das obras do Pátio de Manobras.

Durante o encontro, realizado no gabinete da prefeitura, foi apresentado os projetos e esclarecidos os problemas que inviabilizam a construção das unidades habitacionais na Várzea do Quartel, no Centro, conforme estava definido no projeto inicial.

A prefeita interina Fátima Lima reiterou que todos os esforços serão aplicados para que nenhum projeto pare neste momento difícil. “Estamos trabalhando para que haja continuidade em todos os projetos e o reassentamento é um dos mais importantes. Estamos em sintonia com o DNIT e com a concessionária que está realizando as obras. Vamos concretizar um projeto que sonhamos há muitos anos”.

Inicialmente, as moradias seriam realocadas para outra região da Várzea do Quartel, pertencente ao Patrimônio da União do Rio de Janeiro (SPU-RJ), o que permitiria o arruamento de uma parte importante para o projeto do Pátio de Manobras. Com os impasses encontrados, foi mostrado aos moradores outros projetos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), para que as casas e comércios fossem também para o Campo do Ferroviário, assim como as outras 17 residências inclusas nas obras de reassentamento.

O secretário de Planejamento Urbano Eros do Santos disse que a reunião busca, através do diálogo, um caminho que atenda a todos. “Estamos buscando achar uma solução para avançar na construção dessas casas. É uma realidade que vem se desenhando e que está acontecendo. Vamos achar a melhor resposta”.

O coordenador de supervisão das obras da concessionária, Paulo Café, falou sobre o andamento do projeto. “Estamos com duas obras acontecendo, uma em fase final das casas no Campo do Ferroviário, e agora as remanescentes da Várzea do Quartel. Viemos trazer soluções oficiais por parte do DNIT para apresentar às famílias e darmos continuidade nas obras”.

Segundo a moradora e membro da Comissão de Moradores do Reassentamento, Magda Cristina Severo, este projeto é algo esperado há muito tempo. “Moro na Várzea do Quartel há 50 anos. Vem de muito tempo essa promessa e essas obras nunca saíram do papel. A cidade precisa continuar a crescer, apenas estamos buscando os nossos direitos”.

Os pleitos feitos pelos moradores, assim como a ata de reunião, serão levados pela Prefeitura de Barra Mansa ao DNIT, órgão responsável pelas obras, que irá avaliar e estudar as reivindicações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui